Trabalhava muito nas semanas, minha vida era praticamente da casa para o trabalho, nos sábados e domingos meu entretenimento era os jogos eletrônicos, anos depois saí desse trabalho e fui para outro. Conheci colegas da pesada que bebia até a queda, me enturmei trocando os solitários dias de sábados por festas e bares.

 Um certo sábado uma grande festa estava acontecendo no centro da cidade, encontrei o meu primo Alex. Naquele dia eu não bebi, Alex também não estava bebendo porque no domingo tinha que trabalhar, antes de encerrar a festa subimos uma ladeira onde havia um hospital chamado São Lucas (havia porque infelizmente eu soube que o hospital fechou), estávamos subindo essa ladeira e cruzamos uma rua em formato de encruzilhada.

 Decidimos ir pela estrada de chão, estava tudo escuro porque no único poste daquela rua a lâmpada estranhamente permaneceu apagada, logo nos matos a uma distância considerável vimos uma mulher andando semelhante a um cachorro, nós começamos a sorrir pensando ser algum brincadeira, mas quando chegamos mais perto havia uma bandeja com um tipo de farinha, moedas, cachaça e uma cabeça de bode no chão, nos matos a mulher gritou dizendo ser o demônio, corri como se não houvesse outro dia. Relatando este caso, os cabelos dos meus braços se arrepiaram.

Relato Sobrenatural.

 
});