O baterista do Death Angel diz que conheceu Satanás durante o coma causado pelo coronavírus. | Resumo.

Carroll da Death Angel, Getty Imagens

Um baterista de thrash metal diz que visitou o inferno durante um coma induzido por coronavírus, e Satanás não era tão legal quanto ele pensava.

Will Carroll, da banda Death Angel estava em coma no California Pacific Medical Center por duas semanas em março, depois de pegar o vírus em uma turnê européia no início daquele mês, segundo o San Francisco Chronicle's Datebook.

Durante esse período, Carroll, 47, disse que tinha sonhos perturbadores em um lugar totalmente assustador.

Lá, o diabo em forma de uma mulher o castigou e o transformou em um "monstro " que vomitava sangue.

Quando ele abriu os olhos, em 30 de março, havia "tubos entrando e saindo de mim e havia uma enfermeira ali", lembrou Carroll.

"Minhas primeiras palavras foram: 'Ainda estou no inferno?'"

"Ela me ignorou."

Durante a maior parte do tempo em um ventilador, Carroll estava em estado crítico disseram os médicos.

"Ele ainda estava perto da morte e estávamos muito preocupados com ele", disse o Dr. George Horng, pneumologista.

"Se ele piorasse não haveria muito o que fazer".

A experiência de quase morte do roqueiro o levou a fazer grandes mudanças em sua vida.

Em um esforço para ser mais saudável, ele disse que está deixando de beber álcool e usar drogas.

Quanto à sua fé, Carroll disse que agora acredita em um poder superior e sente que as orações de sua família e amigos o ajudaram a superar.

"Ainda vou ouvir metal satânico, e ainda amo o Deicide e bandas assim", disse Carroll ao Chronicle.

"Quanto a minha vida pessoal e a minha experiência com o que passei, não acho que Satanás seja tão legal quanto costumava pensar."







Com a Informação NYPost.

 
document.querySelectorAll('img').forEach(function(img) { img.src = img.src.replace('/s72-c','/s1600'); });