dezembro 30, 2019
0

Surgimento e lenda

O perturbador vídeo "Obedece a La Morsa" surgiu com todo um mistério no Youtube, em 2007. A lenda que o acompanhou dizia que se tratava de uma sociedade satânica de travestis ou transexuais chamados "The Walrus" que produziram o vídeo com o objetivo de propagar suas mensagens obscuras, até hoje não desvendadas.

Mas a realidade é diferente:

Na verdade, "Obedece a La Morsa" é uma junção de trechos de um documentário chamado "The Goddess Bunny", de 1994, que explora o cenário gay underground de Los Angeles. O personagem que aparece no vídeo editado "Obedece a La Morsa" é na verdade um homem transvestido, focando numa personagem chamada Goodess Bunny, muito famosa no underground gay de Los Angeles. 

Homem que acabou dando vida ao personagem 
"tenebroso" de "Obedece a La Morsa"

O trecho foi retirado do documentário de 90 minutos e somou-se a uma música tenebrosa, tornando-se dessa forma simples um dos mais perturbadores vídeos do Youtube. Aos 51 minutos e 50 segundos do vídeo abaixo disponível é possível ver o trecho retirado para que se fosse feita essa genial forma de amedrontar pessoas.

O protagonista e sua triste história 

Pensando bem, a história do protagonista, Johnnie Baima, apelidado de 'Goddess Bunny', é tão perturbadora e triste quanto o próprio vídeo "Obedece a La Morsa".
Johnnie Baima, ou Goddess Bunny, como é chamado, nasceu em 1960 e sofreu de Poliomelite. E então os médicos que tentaram fortalecer sua coluna com uma haste cometeram um erro grave que prejudicou a postura e o crescimento de Johnnie.
Johnnie então foi abandonado pelos pais e ficou vagando por lares adotivos nos Estados Unidos, onde era abusado sexualmente por funcionários.
Na sua adolescência, Johnnie Baima foi estuprado também por uma turma de adolescentes, segundo depoimento próprio.

Quando o rapaz homossexual começou a crescer ele passou a se apresentar como drag queen em Los Angeles, onde começou a fazer muito sucesso, com um nome totalmente diferente de Johnnie Baima ou Goddess Bunny: ele se chamava, no início, Sandy Crisp. Sua fama chamou a atenção de um diretor muito conceituado, que resolveu fazer um filme documentário sobre a vida de Johnnie Baima, ou Sandy Crisp. O documentário teria o título "The Goddess Bunny", nome que Johnnie Baima acabou então adotando.
Depois do lançamento do filme, Johnnie, agora Goddess Bunny, casou-se com um ex presidiário recém-libertado chamado 'Rocky' e passou a morar com este homem junto a sua mãe (extremamente católica) num trailer. Com obviamente o casamento não dando certo, Goddess Bunny passou a ser espancado por Rocky e por fim expulso do trailer. 

Ultimas informações sobre Goddess Bunny:

Uma entrevista em 2011 mostrou que Goddess Bunny hoje está em um asilo na Califórnia - EUA. 

Goddes Bunny participou do Encontro do Orgulho Gay em Los Angeles, onde ironicamente aparece bem masculino, vestido de padre. 



0 Comentários :

Postar um comentário