A vila está situada perto de uma antiga cratera de impacto. Crédito da imagem: RafaelMousob / Pixabay

Um experimento de arte muito incomum na vila italiana de Fontecchio está transformando seus residentes em híbridos alienígenas.

Quando você ouvir o termo 'híbrido humano-alienígena', a primeira coisa que provavelmente vai ter em mente são as experiências do governo ou a série arquivo X.

Para o filósofo experimental Jonathon Keats, o termo tem um significado um pouco mais prático e tem tudo a ver com a combinação de uma rocha espacial comum com o abastecimento de água de uma cidade.

A manobra peculiar, que faz parte de um projeto de arte oficialmente aprovado chamado "Fontes da Tolerância", envolveu a colocação de um meteorito condrito regular na encosta acima da aldeia italiana de Fontecchio, onde sua essência foi gradualmente sugando para a água potável local.

Qualquer um que beba água, ele argumenta, tecnicamente se tornará um 'híbrido humano-alienígena'... mais ou menos.

O objetivo final do projeto de arte é ajudar a combater a xenofobia.

"Quando nos tornamos estranhos juntos, ao ingerirmos este material meteorítico, estamos nos tornando mais conscientemente parte do cosmos", disse Keats recentemente.

"Portanto, há uma ampliação além do fato de eu ser de um lugar e você de outro para um reconhecimento de que, na verdade, somos todos do mesmo lugar, que é o cosmos."

A vila em si é, na verdade, um bom lugar para o projeto porque fica perto de uma cratera de meteoro que se acredita ter sido formada por uma rocha espacial há mais de 1.700 anos.

Se os próprios aldeões se importam em beber água com infusão de meteorito, no entanto, não está claro.

 
});