De acordo com um novo estudo liderado pelo Dr. John Ilee da Universidade de Leeds, as condições químicas básicas responsáveis ​​por dar origem à vida na Terra são agora consideradas muito mais comuns na Via Láctea do que se acreditava anteriormente.

Para determinar isso, os pesquisadores usaram dados do telescópio Atacama Large Millimeter / submillimetre Array (Alma), no Chile, para estudar os discos de material ao redor de estrelas jovens.

Descobriu-se que esses discos, que um dia formarão novos planetas, contêm grandes quantidades das moléculas precursoras necessárias para formar as moléculas mais complexas necessárias para o desenvolvimento da vida.

"Alma nos permitiu procurar essas moléculas nas regiões mais internas desses discos, em escalas de tamanho semelhantes ao nosso sistema solar, pela primeira vez", disse o Dr. Ilee.

"Nossa análise mostra que as moléculas estão localizadas principalmente nessas regiões internas, com abundâncias entre 10 e 100 vezes maiores do que os modelos previram."

Curiosamente, essas regiões do disco também são onde os cometas e asteroides se formam, o que significa que essas moléculas também podem ser carregadas por grandes distâncias e depositadas em outros planetas.

"O principal resultado deste trabalho mostra que os mesmos ingredientes necessários para semear a vida em nosso planeta também são encontrados em torno de outras estrelas", disse a Dra. Catherine Walsh.

"É possível que as moléculas necessárias para iniciar a vida nos planetas estejam prontamente disponíveis em todos os ambientes de formação de planetas."

[MSN]
 
});