No começo quando um verdadeiro casal de um homem com uma mulher se unem as divergências acabam por não serem vistas por causa do momento apaixonado que se encontram, porém ao decorrer do tempo essas divergências acabam por serem escancaradamente vistas.

 Dificilmente pessoas que têm a forma de viver, pensamentos e o comportamento diferente do outro tendem a entrar em consenso, mesmo com várias tentativas a tendência é sempre discórdias e brigas.

 Para se ter uma ideia, nos primeiros três meses de quarentena no Brasil, os divórcios aumentaram 54% entre maio e junho de 2020. Se contarmos os últimos dez anos, houve um aumento de 160%, um em cada três casamentos termina em divórcio no Brasil.

 A quarentena só escancarou algo que não estava nítido nesses casamentos: ”Viviam juntos, mas não se conheciam.” 

 Fazendo contraponto, no Brasil há mais ou menos 90 milhões de solteiros (as), e esse número está crescendo, se for para viver em desunião é melhor ficar só.

Quais são as maiores causas da não combinação?

Primeiro - A falta de comunicação: Não consegue expressar a opinião de maneira que ambos os parceiros entendam, tudo leva a uma discussão e um ressentimento crescente.  

Segundo - Não há parceria: Muitas pessoas se sentem incompreendidas e desconhecidas, é como se não existisse mais uma unidade com o cônjuge, vivendo praticamente sozinha (o). 

Terceiro - Os vícios: Drogas, álcool ou outro vício prejudicial é um dos maiores motivos para a unidade ser desfeita.  

Quarto - As trapaças: Sem a confiança, o que resta?

LeandroAB.25@gmail.com

 
});