Havia nas montanhas distante muitos penhascos perigosos, raramente pessoas chegavam próximo e o turismo era proibido, no pico desta montanha morava um compositor solitário; periodicamente nas pequenas vilas ouvia-se aquele notório e único som que vinha pelo vento.

 Anos se passaram até surgir um grupo de políticos com a ideia de abrir turismo para a montanha, apesar dos povos das vilas discordarem, a palavra final ficou com a lei que aceitou sem rodeios a abertura. Os primeiros turistas subiram na montanha e nada encontraram, os animais viviam em harmonia, os insetos voavam e andavam pelas pedras etc.

 As vilas e seus povos nunca mais ouviram a bela canção, a história foi passada pelas gerações seguintes.

 Na vida as pequenas coisas são mais importante do que o ouro e a prata, a humanidade tem a capacidade de destruir qualquer coisa pela ambição no dinheiro, se não fosse a política das vilas e seus juízes a canção do compositor solitário teria permanecido para sempre.

LeandroAB.25@gmail.com

 
});