O materialismo faz parte da cultura de muitas nações, o verbo “ter” é comumente apreciado por aqueles que vivem uma vida desregrada de compras e acúmulos de objetos desnecessários; com a dosagem certa de propagandas, o incentivo ao consumo tem ganhado mais espaço, atraindo mais adeptos para esse modo de vida destrutivo.

 Existe mais malefícios na vida presa ao material do que benefícios, a inexistência espiritual é uma delas; quando o material sobrepõe o espiritual o indivíduo simplesmente viverá somente para o “ter”, fazendo com que seja escravo contínuo, amarrado cegamente na tristeza e solidão amarga do desejo momentâneo de possuir.

 E para que essa sensação viciante permaneça é preciso comprar uma bolsa do ano, obter mais empréstimo simplesmente porque precisa comprar, etc. etc.

 Entretanto, em contrapartida o desapego material beneficia em diversos aspectos a vida, a frugalidade (moderação alimentar ,simplicidade, sobriedade de costumes, de hábitos etc.) é a primeira mudança, uma pessoa desapegada ao material cria a frugalidade e disciplina, e encontra na simplicidade a verdadeira harmonia de se viver.

 Tendo o pouco para sobreviver com dignidade é uma virtude num mundo em que o status é medido pelo acúmulo de bens e aparência. 

LeandroAB.25@gmail.com

 
});