Todos os anos centenas de milhares morrem por causa de acidentes na estrada, esse número cresce constantemente; muitas das vezes pessoas imprudentes causam mortes por não respeitarem as normas de ultrapassagem. Mas para Eddy algo inusitado aconteceu que quase o levou à morte.

 No verão de 1998, Eddy ainda jovem pegou o carro do pai e loucamente dirigiu pela estrada até o destino das praias, o movimento era intenso por causa do grande feriado e todos queriam o mais rápido possível sair da cidade, Eddy disse:

 Olhando bem, havia algo querendo que eu não fosse, estava dando tudo errado e mesmo assim como jovem irresponsável que eu era, desobedeci meus pais, não compreendo como o meu pai deixou eu pegar o carro dele, fiz tudo por impulso.

 Eddy dirigia o carro incansavelmente, depois de quatro horas de viagem os olhos estavam se fechando, pegou uma garrafa de café e tomou. Logo na curva seguinte o trânsito parado o irritou, o céu nublado indicava uma pesada chuva:

 O interessante foi que de uma hora para a outra o céu limpo de muito sol ficou nublado e de repente choveu, quando atravessei e saí do trânsito a chuva limpava o sangue da batida do carro pequeno contra o caminhão, aquilo causou um grande congestionamento e ficou na minha mente.

 A intensa chuva criou uma neblina nunca vista, Eddy acendeu o farol do carro e manteve a mente concentrada, pisou o pé erroneamente no acelerador e freou, saindo do seu percurso entrou nos arbusto da lateral da pista batendo o lado do carro nas pedras, Eddy fala:

 Antes disso vi com meus próprios olhos uma coisa estranha vestida de um branco sujo atravessando a pista, não sei ao certo se era uma velha senhora porque o rosto parecia com um tipo de escama de peixe, acelerei e depois bruscamente apertei o freio batendo o carro, sei que parece loucura mas fico todo arrepiado com isso, não gosto de falar a respeito pelo fato de poucos acreditarem nessas coisas. 

 O homem nunca mais foi o mesmo, hoje ele frequenta a igreja junto com seus pais e sua esposa. 

 
});