As línguas destinavam-se a ajudar na comunicação com Osíris. Crédito da imagem: Ministério Egípcio de Antiguidades

Arqueólogos revelaram a notável descoberta de múmias egípcias de 2.000 anos com línguas de ouro.

As múmias foram encontradas em uma série de tumbas cortadas na rocha no templo Taposiris Magna de Alexandria, no norte do Egito, por uma equipe de arqueólogos do Egito e da República Dominicana.

Enquanto os próprios corpos estavam mal preservados, uma coisa se destacou imediatamente - cada um deles tinha uma 'língua' dourada (um amuleto revestido com folha de ouro) colocada dentro de suas bocas.

Acredita-se que as línguas reais foram removidas durante o processo de embalsamamento e substituídas pelas réplicas de ouro como forma de ajudar o falecido a falar com Osíris - o deus egípcio do submundo.

Outras representações de Osíris também foram encontradas em várias formas ao redor da tumba.

Além das línguas de ouro, a equipe descobriu outros artefatos, incluindo a máscara funerária de uma mulher, os restos de uma coroa de ouro e oito máscaras de mármore.

Moedas com a imagem da Rainha Cleópatra VII também já haviam sido encontradas lá.

 
});