Os arqueólogos conseguiram decifrar a inscrição na lápide de "Maria Santíssima", que foi criada durante a era bizantina há 1400 anos, a lápide apareceu no final do século VI.

A lápide foi descoberta acidentalmente por um dos funcionários da Autoridade de Parques e Natureza de Israel. Em um dos caminhos, ele percebeu uma pedra que o interessou. David Palmach também viu uma inscrição em grego na pedra. A pedra foi imediatamente fotografada e entregue à Fazenda do Estado. Depois de algum tempo, Leah De Senyi conseguiu decifrar a inscrição, que dizia respeito a uma mulher que viveu há 1400 anos e faleceu em 9 de fevereiro.

Eran Doron afirmou que nada mais se sabe sobre a mulher, exceto que ela viveu uma vida simples. O especialista acrescentou que, provavelmente, Maria era uma mulher com um status bastante elevado na sociedade.

Após o estudo, a lápide de Maria foi adicionada à coleção de lápides pertencentes aos primeiros cristãos que foram enterrados na área de Nitzana. Existem muito poucos hoje, mas gradualmente a coleção está sendo reposta.

[Planeta]

 
});