Em 2008, a NASA foi capaz de reconhecer a tempo uma ameaça de quatro metros na forma de um meteorito, que "pousou" no Sudão. O peso do objeto era de 8,2 mil kg, os pesquisadores coletaram amostras para um estudo detalhado.

O elemento 50 mg AhS foi examinado ao microscópio e concluiu-se que ele tem uma composição mineral única. A estrutura do meteorito continha um conjunto especial de minerais, cuja formação só é possível em condições intermediárias de temperatura e pressão. Portanto, a temperatura ambiente deveria ser maior do que em um asteroide comum.

Cerca de 4,6% dos detritos espaciais que caíram na Terra consistiam em condrito carbonáceo. As pedras pretas continham compostos orgânicos, vários minerais e água. Segundo os pesquisadores, devido à composição do mineral, é possível descobrir as características do "asteroide pai" do qual os objetos se separaram.

AhS pode ter se separado de um enorme asteroide. Talvez suas dimensões sejam semelhantes às do planeta anão Ceres (473 km de raio). Se tal objeto realmente existir, é o maior no cinturão de asteroides.

[Planeta]

 
});