Esta imagem é pertencente a (Imagem: © Tinnakorn Jorruang / EyeEm), foto livescience

Mais da metade do mundo pratica o cristianismo, islamismo ou judaísmo, de acordo com o Pew Research Center. Essas religiões são todas monoteístas, envolvendo a adoração a um Deus. Mas, de acordo com os estudiosos, nossa compreensão moderna do monoteísmo é um fenômeno recente - mais recente ainda do que as religiões que ele descreve. 


Então, como surgiu o monoteísmo?


A resposta é complicada. O monoteísmo não surgiu com o judaísmo, nem o cristianismo, nem o islamismo, segundo os estudiosos. É um conceito moderno. E dependendo de como você o define, ele surgiu milhares de anos antes dessas religiões principais ou centenas de anos depois. 

Em um nível superficial, muitas religiões antigas parecem politeístas. Se você está olhando para Mesopotâmia ou o antigo Egito, Grécia ou Roma, o Reino de Aksum no norte da África ou o antigo Israel: todas essas civilizações já adoraram muitos deuses. A realidade é um pouco mais complicada, disse Andrew Durdin, historiador religioso da Florida State University.

“Quando você olha para a história humana, a distinção entre politeísmo e monoteísmo meio que se desfaz”, disse Durdin.

Em todas as culturas, panteões ou grupos de divindades específicos de uma religião em particular, eram frequentemente descritos como expressões da mesma entidade divina, semelhante a como os cristãos adoram a Santíssima Trindade - o pai, o filho e o espírito santo - como diferentes manifestações de Deus. Por exemplo, no segundo milênio aC, o antigo poema épico da Mesopotâmia, "Enuma Elish", chama o deus principal de Marduk por 50 nomes: os nomes dos deuses subordinados a ele. A implicação é que esses deuses inferiores eram realmente manifestações de um deus: Marduk, escreveu Jan Assman no livro "Religions of the Ancient World: A Guide" (Belknap Press da Harvard University Press, 2004). 

Este conceito de unidade divina não era exclusivo da Mesopotâmia; esse mesmo conceito existia na Grécia, Egito e Roma antiga. Na Roma antiga, por volta do século III aC, um grupo filosófico chamado de estóicos afirmavam que havia apenas um Deus, cujos nomes apenas diferiam de acordo com seu papel nos céus e na Terra, escreveu Assman. O aumento da conectividade entre civilizações pode ter encorajado a crença na unidade divina, escreveu Assman. As pessoas traçavam conexões entre seus próprios deuses e os de outras sociedades. Eles começaram a ver diferentes deuses e panteões, não em oposição uns aos outros, mas como expressões do mesmo conceito. Alguns estudiosos comparam a ideia de unidade divina ao monoteísmo. Assman chama isso de "monoteísmo evolucionário"; Durdin chama isso de "monoteísmo filosófico".

Dito de outra forma, os povos antigos podem ter visto vários deuses de diferentes culturas como todos emanando da mesma fonte sagrada. 

Foi neste contexto que os movimentos religiosos começaram a exigir adoração exclusiva a um Deus. No século 14 aC, o faraó egípcio Akhenaton estabeleceu um culto dedicado apenas ao deus do sol, Aton. Ele fechou templos e destruiu imagens de outros deuses. E alguns estudiosos acreditam que foi até mil anos depois que os primeiros israelitas começaram a adorar apenas um Deus: Yahweh, disse Matthew Chalmers, um teórico da religião na Northwestern University em Illinois. Foi uma transição que levou séculos, e seriam necessários mais séculos para que a crença de que apenas um Deus existente se consolidasse no Judaísmo, disse Chalmers. 

É importante notar que essas pessoas não se consideravam monoteístas ou politeístas. "Não acho que fosse algo em que as pessoas antigas estivessem realmente interessadas", disse Chalmers. Esses movimentos não negavam a existência de outros deuses. Eles apenas exigiram que as pessoas parassem de adorá-los.

Da mesma forma, os primeiros cristãos não declararam explicitamente a inexistência de outros deuses; eles começaram a se referir a eles como demônios, disse Chalmers. Proclamações de que havia apenas um Deus aparecem em partes da Bíblia Hebraica escritas por volta do século V aC - no entanto, seções escritas anteriormente na história judaica não faziam tais afirmações, disse Chalmers. E não foi até o terceiro e quarto séculos dC, que o conceito de um Deus finalmente começou a aparecer na liturgia cristã. No entanto, os estudiosos discordam sobre o cronograma exato, acrescentou ele. O Islã era uma história um pouco diferente. O Alcorão, que foi escrito décadas após o surgimento do Islã no século 7, afirmava explicitamente que havia apenas um Deus desde o início, disse Chad Haines, historiador da religião na Universidade do Estado do Arizona. Isso não significa que o monoteísmo surgiu com o Islã,

Então, o que foi tão significativo sobre esses períodos da história, quando as religiões começaram a declarar que só havia um Deus? É impossível elucidar causa e efeito. Mas houve algumas mudanças significativas. Mais pessoas estavam escrevendo suas ideias, especialmente as elites, disse Chalmers. Possuir um texto religioso tornou-se uma marca de status social. E os estados começaram a apoiar movimentos religiosos específicos. Por exemplo, nos últimos dias de Roma, a ideia de um Deus apelou ao imperador Constantino como uma forma de reunir o império em ruínas, disse Durdin. 

Ainda assim, foi somente em 1660 que o termo monoteísmo foi usado pela primeira vez, e décadas depois o termo politeísmo, disse Chalmers. Mais tarde, a distinção foi feita como uma forma de ajudar a explicar por que algumas sociedades eram "civilizadas" e outras eram "primitivas". 

"Não acho que haja uma transição para o monoteísmo", disse Chalmers. Afinal, nem todos concordam que o Cristianismo, a maior religião monoteísta ostensiva, é monoteísta, ele acrescentou - alguns escritores judeus e muçulmanos interpretaram a Santíssima Trindade como três deuses em vez de um. Em vez disso, a distinção entre politeísmo e monoteísmo foi feita em retrospecto para tentar dar sentido à nossa própria história.

"É uma imposição moderna", disse Haines, "que nos permite mapear o monoteísmo como um movimento em direção ao progresso."

[Livescience]

 
});