No início da pandemia do coronavírus, os cientistas alertaram que as restrições econômicas poderiam ter consequências graves para a saúde mental.

“Os efeitos secundários do distanciamento social podem aumentar o risco de suicídio”, observam os pesquisadores em um artigo de 10 de abril da American Medical Association. “É importante considerar as mudanças em vários fatores de risco econômicos, psicossociais e relacionados à saúde.”

Sete meses depois, surgem novas evidências de que esses pesquisadores estavam certos.

“Muitos mais japoneses morreram de suicídio, o que provavelmente será agravado pelo impacto econômico e social da pandemia, do que da própria doença COVID-19”, relatou a CBS News. “Embora o Japão tenha lidado com a epidemia de coronavírus muito melhor do que muitos outros países, mantendo a taxa de mortalidade abaixo de 2.000 em todo o país, as estatísticas preliminares da Direção da Polícia Nacional mostram que apenas em outubro, o número de suicídios subiu para 2.153, o que significa um aumento no  quarto mês".

Durante anos, o número de suicídios no Japão diminuiu. Mas o advento do COVID-19 e regulamentos estritos para conter a transmissão do vírus reverteram essa tendência.

Houve 2.153 suicídios relatados no mês passado, cerca de 600 a mais que no ano anterior, com o maior aumento em mulheres, com um aumento de 80% nas taxas de suicídio, de acordo com a CBS.

“Precisamos examinar seriamente a realidade”, disse Katsunobu Kato, um alto funcionário do governo japonês, acrescentando que novos esforços estão em andamento para aconselhar as vítimas em potencial.

Ao contrário do Japão, os Estados Unidos ainda não divulgaram dados nacionais sobre suicídios. Mas a evidência anedótica sugere que os Estados Unidos podem estar lutando contra sua própria epidemia de suicídio.

Antes do advento do coronavírus, o suicídio era a décima causa de morte nos Estados Unidos, ceifando de 42.000 a 49.000 vidas anualmente nos últimos anos. Embora ainda não saibamos os números de 2020, as pesquisas mostraram que mais da metade dos americanos dizem que sofreram danos mentais durante a pandemia por causa da quarentena generalizada e isolamento social para combater o vírus.

Enquanto isso, algumas localidades relatam um aumento acentuado no número de suicídios. Isso inclui Dane County, Wisconsin, o segundo maior condado do estado, com taxas de suicídio de jovens quase dobrando em 2020. O John Muir Medical Center, com sede em Walnut Creek, Califórnia, relatou de forma semelhante um aumento "sem precedentes" de suicídios em maio.

“Nunca vimos tantos números em um período de tempo tão curto”, disse o Dr. Michael de Boisblanc à afiliada da ABC. “Quer dizer, vimos mais tentativas de suicídio nas últimas quatro semanas do que em um ano.”

Ainda não sabemos qual será a taxa final de suicídio nos EUA, mas a triste verdade é que os EUA podem muito bem ver um crescimento semelhante ao do Japão.

[SouLask]

 
});