1 de mai. de 2020

Julio Paredez, prefeito de Villa Río Bermejito.

Mortalidade de aves em Villa Río Bermejito: "Depois do barulho estrondoso as aves começaram a cair"

O fenômeno ocorreu no início da manhã. Segundo o prefeito Julio Paredez, eles estão investigando a causa da morte dos pássaros e o "tremendo barulho" que despertou as pessoas no meio da quarentena. "Não queremos divulgar informações falsas, vôos comerciais são proibidos nesta esta área também não a pulverizamos nada. Isso causa medo na sociedade e estamos preocupados e ocupados em saber do que se trata", disse o funcionário.

O prefeito de Villa Río Bermejito, Julio Paredez, falou nesta quarta-feira com a TV CIUDAD após a morte maciça de pássaros durante a noite de terça-feira na cidade. Ele indicou que no momento em que os pássaros começaram a cair do céu, "um barulho muito alto foi ouvido de um avião". Que os agentes da Polícia e da Gendarmaria agiram, que visitaram a área.

Ele comentou que nesta manhã eles foram em um local a 20 quilômetros “porque tínhamos notícias de que ele poderia ter pousado em uma área se fosse um avião. Fomos e não havia nada, não encontramos nada ”.

Ele especificou que o fenômeno ocorreu perto das 00h30 na quarta-feira. “No meio da quarentena as pessoas não saem mais de casa às 21:00. A maioria já dormiu e as pessoas da polícia vieram atender uma contravenção e quando voltaram, ouviram aquele barulho tremendo ”.

Ele explicou que a sede do município está localizada na margem do rio Bermejito: "Eu vejo o rio pela janela do meu escritório". "Os policiais ouviram aquele barulho tremendo sobre o rio e o voo dos pássaros, e o mesmo som foi ouvido pelo sereno do município o que causou uma comoção impressionante pois movimentava árvores e telhados do município. E outro funcionário que faz parte da equipe do município que mora três quilômetros acima do rio ouviu o mesmo som. Mas ninguém conseguia ver se era um avião ou que tipo de objeto ".

Ele enfatizou que além dos pássaros estarem mortos ainda havia pássaros "muito assustados" pairando pela cidade. E ele confirmou que a Força Militar Nacional ainda funciona. "Queremos realmente saber o que aconteceu pessoas do governo da província de Formosa me preocuparam com esse assunto e também queremos saber o que aconteceu" afirmou.

"Não sabemos ou queremos divulgar informações falsas, vôos comerciais são proibidos. Esta área também não é pulverizada com qualquer produto porque não produzimos soja ou qualquer outro alimento agroalimentar. Isso causa medo na sociedade e portanto estamos preocupados e ocupados em descobrir do que se trata. Neste momento o pessoal da força militar e a Polícia e com barcos de amigos particulares estão viajando por toda a margem do rio, onde o som que atravessou foi ouvido para ver o que podemos encontrar. Isso nunca se assemelhou ”, assegurou.
















Com a Informação ChacoDia.

0 Comentários :

Postar um comentário