8 de jan. de 2020


O CAVALEIRO NO CAVALO BRANCO.

Ele é descrito como “Fiel e Verdadeiro” e também é chamado de “Rei dos reis e Senhor dos senhores”. 

A própria palavra de Deus o Senhor Jesus Cristo.

O CAVALEIRO NO CAVALO COR DE FOGO.

Esse cavaleiro representa guerras. Veja que ele não tira a paz apenas de alguns países, mas de toda a Terra. Em 1914, pela primeira vez na história, estourou uma guerra mundial. Pouco tempo depois, ocorreu outra guerra mundial, que foi ainda pior. Alguns acreditam que desde 1914 o número de mortos em guerras e conflitos armados ultrapassa os 100 milhões! Sem falar nos milhões de outras pessoas que ficaram com ferimentos permanentes.

E será que as guerras ainda são uma característica marcante do nosso tempo? Com certeza! Hoje, como nunca antes, os homens parecem ter o poder de exterminar a humanidade. E até organizações que se dizem responsáveis por manter a paz, como a ONU, não conseguem impedir o galope do cavalo cor de fogo.

O CAVALEIRO NO CAVALO PRETO.

Esse cavaleiro representa a fome. A situação ficaria tão crítica que a Bíblia fala que um litro de trigo custaria um denário, que era o salário de um dia nos tempos de Jesus. 

Com esse valor, também dava para comprar três litros de cevada, um cereal considerado inferior ao trigo. Essa quantidade de comida não daria para alimentar uma família grande. A voz também diz que as pessoas deviam economizar azeite e vinho. Esses eram itens básicos na dieta das pessoas daquela época.

Será que, desde 1914, esse cavalo está galopando? As evidências mostram que sim! Cerca de 70 milhões de pessoas morreram de fome no século passado. Um relatório afirma que provavelmente “805 milhões de pessoas, ou seja, 1 em cada 9 habitantes da Terra, sofreram de desnutrição crônica entre 2012 e 2014”. Outro relatório diz: “Todo ano, a fome mata mais do que a aids, a malária e a tuberculose juntas.” Muitos esforços são feitos para alimentar os que passam fome. Mas nada impede a cavalgada do cavalo preto.

O CAVALEIRO NO CAVALO AMARELO.

O quarto cavaleiro representa a morte causada por epidemias e por outros motivos. Pouco depois de 1914, a gripe espanhola matou muitos milhões de pessoas. É provável que 500 milhões de pessoas tenham sido infectadas. Na época, isso era 1 em cada 3 pessoas no mundo.

E a gripe espanhola foi só o começo. Os especialistas dizem que mais de 300 milhões de pessoas morreram de varíola no século passado. Até hoje, apesar dos avanços da medicina, doenças como aids, tuberculose e malária tiram a vida de milhões de pessoas.

Assim, seja por causa de guerras, fome ou epidemias, a morte reina sobre a humanidade. E a Sepultura, sem dó nem piedade, continua a recolher as vítimas.





Com a Informação JW.

0 Comentários :

Postar um comentário