novembro 23, 2019
0

Altemio Sanchez é um serial killer americano que matou pelo menos três mulheres e estuprou pelo menos 14 pessoas nas proximidades de Buffalo, Nova York, durante um período de 25 anos (1981 a 2006). Ele também é conhecido como “The Bike Path Rapist” (“O Estuprador da Ciclovia”). Suas vítimas foram: Linda Yalem, de 22 anos, uma estudante do segundo ano na Universidade de Buffalo, que foi morta em 29 de Setembro de 1990; Majane Mazur, de 32 anos, desapareceu um dia antes do Halloween em 1992, tinha uma filha de 5 anos, se prostituía para manter seu vício em crack, foi encontrada morta em novembro do mesmo ano e Joan Diver, de 45 anos, casada com Steve Diver, mãe de 4 filhos e ligada a um grupo de escoteiros, foi assassinada em 29 de Setembro de 2006, o corpo foi encontrado na ciclovia de Clarence em Newstead, New York em 01 de outubro de 2006, perto de um lugar onde ela costumava fazer exercicios. O assassino recebeu o apelido porque muitos de seus crimes ocorreram perto de ciclovias isoladas. Em 16 de Maio de 2007, Sanchez declarou-se culpado dos assassinatos de Linda Yalem, Majane Mazur, e Joan Diver. Em 15 de janeiro de 2007, uma força-tarefa da polícia no condado de Erie, Nova York, prendeu Sanchez como acusado pelos assassinatos. Em Janeiro de 2007, um júri do condado de Erie decidiu indiciar Sanchez pelos assassinatos de Yalem e Mazur. A polícia disse que o DNA encontrado na cena de oito crimes batia com o DNA de Sanchez obtido após sua prisão. Diver foi a única das vítimas que não foi estuprada. Acredita-se que ela morreu durante o estrangulamento antes que Sanchez pudesse estuprá-la. Muitos dos estupros atribuídos a Sanchez foram julgados não procedentes devido ao estatuto de limitações de acusação de estupro, que estava em vigor em Nova York na época que os crimes foram cometidos. Ele também é suspeito em uma investigação em curso de um assassinato de uma menina de 15 anos de idade em 1985. Em 15 de agosto de 2007, Sanchez foi condenado a 75 anos de prisão. Ele está cumprindo no Clinton Correctional Facility, ele pode ser transferido para uma unidade mais próxima de sua família, se ele confessar a autoria de seus crimes cometidos. O DNA o ligou a aproximadamente 25 agressões sexuais desde 1975. Em março de 2007, Anthony Capozzi foi libertado da prisão estadual depois de servir 22 anos por dois estupros com similar modus operandi. Após a prisão de Sanchez, os investigadores perceberam que os crimes foram semelhantes, ocorreram na mesma área e que Sanchez e Capozzi eram muito semelhantes entre si no momento em que os crimes foram cometidos. Uma amostra de DNA de Sanchez o ligou às violações de Capozzi, que tinha sido condenado em 1985. Capozzi era inocente e havia sido negado a ele até mesmo o direito a liberdade condicional. Capozzi, que é esquizofrênico, e seu advogado deram entrada em um processo civil exigindo US $ 4,25 milhões. Recentemente, o deputado estadual Sam Hoyt e o senador estadual Dale Volker introduziram um artigo na legislação que acelerou tal processo. Esta lei é conhecida como a Lei de Anthony. Acredita-se que uma pista arquivada no caso Capozzi levou à detenção de Sanchez. Um detetive que olhava para os arquivos do caso encontrou um relatório de uma mulher que havia sido estuprada, em 1981. Quase dois anos depois, ela disse à polícia que viu o homem que havia a estuprado dirigindo em um local de estacionamento na zona comercial e ela anotou o número da placa. Quando os detetives entrevistaram o dono do carro, ele forneceu um álibi sólido para que não fosse acusado de estupro. No entanto, cerca de vinte e cinco anos depois, ele foi novamente localizado pela força-tarefa e admitiu que naquele dia ele não estava dirigindo o carro. Ele havia emprestado para seu sobrinho.

O livro Bike Path Rapist: A Cop's Firsthand Account of Catching the Killer Who Terrorized a Community de Jeff Schober e Dennis Delano se baseia nesses acontecimentos.

0 Comentários :

Postar um comentário