outubro 07, 2019
0

Diante do caso hipotético de uma pandemia global ou de uma crise que ameaça a existência da humanidade, os cientistas da Nova Zelândia identificaram e classificaram os melhores lugares para se refugiar para garantir uma maior chance de sobrevivência, de acordo com pesquisa publicada na revista Análise de Risco.

“As descobertas em biotecnologia podem fazer uma pandemia de engenharia genética ameaçar a sobrevivência de nossa espécie”, disse terça-feira Nick Wilson, um dos autores do estudo, em comunicado da Universidade de Otago.

Nações insulares

A pesquisa considera que os países insulares seriam os melhores lugares devido ao seu isolamento natural de possíveis doenças. Os especialistas selecionaram as 20 opções mais favoráveis ​​pontuadas com base na disponibilidade de recursos, localização, capacidade de serem auto-suficientes e número de habitantes, pois quanto maior a população, mais fácil seria reiniciar a civilização.
Os resultados revelaram que a Austrália é o local mais favorável para esse fim, devido à sua excelente produção de alimentos e energia, seguida pela Nova Zelândia e Islândia. “Como era de se esperar, foram os países com alto PIB, que são auto-suficientes na produção de alimentos ou energia e que são um tanto remotos, então se saíram melhor”, afirmam os pesquisadores.

Você tem que estar preparado

Embora os perigos descritos não sejam iminentes, são totalmente realistas; portanto, é necessário considerar como mitigar uma crise que ameaça a extinção. “É como uma apólice de seguro. Espera-se que nunca a use, mas se ocorrer um desastre, a estratégia deve ter sido estabelecida com antecedência”, exemplifica Wilson.
“Pode ser que exista uma necessidade clara e premente onde a única opção para a humanidade é um refúgio em uma ilha”, diz o principal autor do estudo, Matt Boyd, acrescentando que, embora o Regulamento Sanitário Internacional geralmente não apoie o fechamento de fronteiras em caso de ameaça existencial, a introdução rápida de controles fronteiriços seria essencial.




Com a Informação RT.

0 Comentários :

Postar um comentário