Em novembro, uma estátua chamada “o guardião da paz e segurança internacional” foi erguida perto da sede da ONU em Nova York. Conforme explicado pela ONU - a estátua é “uma fusão de um jaguar e uma águia”.

A estátua gigante parece algo saído de um filme de ficção científica. É diferente de qualquer criatura conhecida em nosso planeta, é literalmente um “esboçado” da “besta” descrita no livro do Apocalipse.

Formalmente, foi criado pelos artistas Jacobo e Maria Angeles e doado à ONU pelo governo de Oaxaca, no México - muitos perceberam a estranha semelhança da escultura com o sonho bíblico de Daniel:

“E a besta que vi era semelhante a um leopardo, e seus pés eram como os de um urso, e sua boca era como a de um leão; e o dragão deu a ele sua força, seu lugar e grande poder.”

Daniel 7


O Sonho de Daniel: Os Quatro Animais

7 No primeiro ano de Belsazar, rei da Babilônia, Daniel teve um sonho, e certas visões passaram por sua mente, estando ele deitado em sua cama. Ele escreveu o seguinte resumo do seu sonho.

2 “Em minha visão à noite, eu vi os quatro ventos do céu agitando o grande mar. 

3 Quatro grandes animais, diferentes uns dos outros, subiram do mar.

4 “O primeiro parecia um leão, e tinha asas de águia. Eu o observei e, em certo momento, as suas asas foram arrancadas, e ele foi erguido do chão, firmou-se sobre dois pés como um homem e recebeu coração de homem.

5 “A seguir, vi um segundo animal, que tinha a aparência de um urso. Ele foi erguido por um dos seus lados, e na boca, entre os dentes, tinha três costelas. Foi-lhe dito: ‘Levante-se e coma quanta carne puder!’

6 “Depois disso, vi um outro animal, que se parecia com um leopardo. Nas costas tinha quatro asas, como as de uma ave. Esse animal tinha quatro cabeças, e recebeu autoridade para governar.

7 “Em minha visão à noite, vi ainda um quarto animal, aterrorizante, assustador e muito poderoso. Tinha grandes dentes de ferro, com os quais despedaçava e devorava suas vítimas, e pisoteava tudo o que sobrava. Era diferente de todos os animais anteriores e tinha dez chifres.

8 “Enquanto eu considerava os chifres, vi outro chifre, pequeno, que surgiu entre eles; e três dos primeiros chifres foram arrancados para dar lugar a ele. Esse chifre possuía olhos como os olhos de um homem e uma boca que falava com arrogância.

9 “Enquanto eu olhava,

“tronos foram colocados,

    e um ancião se assentou.

Sua veste era branca como a neve;

    o cabelo era branco como a lã.

Seu trono era envolto em fogo,

e as rodas do trono

    estavam em chamas.

10 

De diante dele,

    saía um rio de fogo.

Milhares de milhares o serviam;

    milhões e milhões estavam diante dele.

O tribunal iniciou o julgamento,

    e os livros foram abertos.

11 “Continuei a observar por causa das palavras arrogantes que o chifre falava. Fiquei olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo foi destruído e atirado no fogo. 12 Dos outros animais foi retirada a autoridade, mas eles tiveram permissão para viver por um período de tempo.

13 “Em minha visão à noite, vi alguém semelhante a um filho de homem, vindo com as nuvens dos céus. Ele se aproximou do ancião e foi conduzido à sua presença. 14 Ele recebeu autoridade, glória e o reino; todos os povos, nações e homens de todas as línguas o adoraram. Seu domínio é um domínio eterno que não acabará, e seu reino jamais será destruído.

A Interpretação do Sonho

15 “Eu, Daniel, fiquei agitado em meu espírito, e as visões que passaram pela minha mente me aterrorizaram. 16 Então me aproximei de um dos que ali estavam e lhe perguntei o significado de tudo o que eu tinha visto.

“Ele me respondeu, dando-me esta interpretação: 17 ‘Os quatro grandes animais são quatro reinos que se levantarão na terra. 18 Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e o possuirão para sempre; sim, para todo o sempre’.

19 “Então eu quis saber o significado do quarto animal, diferente de todos os outros e o mais aterrorizante, com seus dentes de ferro e garras de bronze, o animal que despedaçava e devorava suas vítimas, e pisoteava tudo o que sobrava. 20 Também quis saber sobre os dez chifres da sua cabeça e sobre o outro chifre que surgiu para ocupar o lugar dos três chifres que caíram, o chifre que tinha olhos e uma boca que falava com arrogância. 21 Enquanto eu observava, esse chifre guerreava contra os santos e os derrotava, 22 até que o ancião veio e pronunciou a sentença a favor dos santos do Altíssimo; chegou a hora de eles tomarem posse do reino.

23 “Ele me deu a seguinte explicação: ‘O quarto animal é um quarto reino que aparecerá na terra. Será diferente de todos os outros reinos e devorará a terra inteira, despedaçando-a e pisoteando-a. 24 Os dez chifres são dez reis que sairão desse reino. Depois deles um outro rei se levantará, e será diferente dos primeiros reis. 25 Ele falará contra o Altíssimo, oprimirá os seus santos e tentará mudar os tempos[a] e as leis. Os santos serão entregues nas mãos dele por um tempo, tempos[b] e meio tempo.

26 “‘Mas o tribunal o julgará, e o seu poder lhe será tirado e totalmente destruído, para sempre. 27 Então a soberania, o poder e a grandeza dos reinos que há debaixo de todo o céu serão entregues nas mãos dos santos, o povo do Altíssimo. O reino dele será um reino eterno, e todos os governantes o adorarão e lhe obedecerão’.

28 “Esse é o fim da visão. Eu, Daniel, fiquei aterrorizado por causa dos meus pensamentos e meu rosto empalideceu, mas guardei essas coisas comigo”.

As bestas representam todos os reinos que conquistaram Israel. O leão com asas é a Babilônia. O urso é a Pérsia. O leopardo é a Grécia, e a última e mais perigosa delas é Roma.

No capítulo 13 do Apocalipse, aprendemos que esta “besta” representa o Anticristo, que governará o mundo inteiro nos dias da grande tribulação.

Assim, este versículo é uma referência à expiação final, por meio da qual o Messias se levantará e destruirá os inimigos de Israel para que ele possa reinar mais tarde.

Ter uma estátua representando a Pérsia bíblica na sede da ONU pode ser um sinal sinistro, já que as potências mundiais recentemente renovaram a cooperação com o Irã, a atual Pérsia, para negociar uma solução potencial para as ambições nucleares apocalípticas de Teerã.

Mesmo que a ONU reconhecesse publicamente que essa estátua representa o Anticristo, apenas um pequeno segmento da população associaria esse evento à existência do Estado Profundo. Na verdade, estamos vivendo em tempos muito difíceis, e a cena está definitivamente se preparando para o cataclismo que a elite das sombras tem reservado para nós, e descrito no livro do Apocalipse.

[SouLask]

 
});