Tardígrados são conhecidos por sua notável resiliência. Crédito da imagem: CC BY-SA 2.0 Goldstein lab

O espécime microscópico foi encontrado preso dentro de um pedaço de âmbar que remonta à época do Mioceno.

Costuma-se dizer que, se um grande desastre apocalíptico ocorresse na Terra, a única coisa que restaria seriam as baratas. Na realidade existe outra criatura muito mais resistente em nosso planeta que ainda estaria por aí muito depois que as baratas tivessem desaparecido.

O tardígrado (ou urso-d'água) é uma das formas de vida mais resistentes que existem. Esses invertebrados microscópicos existem há mais de 520 milhões de anos e passaram por incontáveis ​​eventos de extinção em massa, incluindo aquele que exterminou os dinossauros.

Uma espécie até então desconhecida de tardígrado, datando de 16 milhões de anos atrás, foi encontrada preservada dentro de um pedaço de âmbar que foi desenterrado na República Dominicana.

Chamado de Paradoryphoribius chronocaribbeus, é apenas o terceiro tardígrado preservado em âmbar a ser totalmente descrito e nomeado. A razão para essa escassez é seu tamanho minúsculo e o fato de que seus corpos não se decompõem e produzem os tipos de minerais que são preservados por longos períodos.

"A descoberta de um tardígrado fóssil é verdadeiramente um evento que ocorre uma vez em uma geração", disse Phil Barden - biólogo do Instituto de Tecnologia de Nova Jersey.

"O que é tão notável é que os tardígrados são uma linhagem ancestral onipresente que viu de tudo na Terra, desde a queda dos dinossauros até a ascensão da colonização terrestre de plantas."

"Ainda assim, eles são como uma linhagem fantasma para paleontólogos quase sem registro fóssil. Encontrar qualquer vestígio fóssil de tardígrado é um momento emocionante em que podemos ver empiricamente sua progressão ao longo da história da Terra."


 
});