As coisas parecem terríveis, mas não é tarde demais ... Crédito da imagem: Pixabay

Um novo relatório importante descobriu uma ligação 'inequívoca' entre as atividades humanas e as mudanças climáticas.

O estudo marcante, que foi publicado hoje pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, certamente traz uma leitura sombria.

Descrito pelo secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, como "um código vermelho para a humanidade", o relatório confirma os efeitos devastadores que as atividades humanas vêm tendo em nosso planeta.

O problema já é evidente em todo o mundo, com incêndios florestais, inundações e outros grandes eventos climáticos devastando comunidades, matando milhares e causando danos incalculáveis.

“Se combinarmos forças agora, podemos evitar uma catástrofe climática”, disse Guterres.

“Mas, como o relatório de hoje deixa claro, não há tempo para atrasos e nem espaço para desculpas. Conto com os líderes do governo e todas as partes interessadas para garantir que a COP26 (a cúpula do clima marcada para ocorrer em Glasgow, Escócia ainda este ano) seja um sucesso."

De acordo com o relatório, as temperaturas globais aumentaram mais rápido nas últimas cinco décadas do que durante qualquer outro período de 50 anos nos últimos 2.000 anos. Os últimos cinco anos também foram os mais quentes desde 1850.

Isso já está "afetando muitos extremos climáticos em todas as regiões do globo".

Ao longo dos próximos séculos, as coisas vão piorar progressivamente - o nível do mar vai subir, o oceano se tornará mais ácido e as calotas polares continuarão a derreter até que desapareçam.

"As consequências continuarão a piorar a cada pequeno aquecimento", disse o professor Ed Hawkins, da Universidade de Reading. "E para muitas dessas consequências, não há como voltar atrás."


 
});