A tecnologia de energia dirigida é o futuro da guerra? Crédito da imagem: Marinha dos EUA

O relatório, que se concentra em armas de energia direcionada, sugere que os campos de força podem em breve se tornar uma realidade.

Divulgado pelo Laboratório de Pesquisa da Força Aérea na Base da Força Aérea de Kirtland, o relatório fornece uma análise dos investimentos em tecnologias de energia direcionada, como elas se desenvolverão ao longo do tempo e se os Estados Unidos estarão ou não liderando o campo nas próximas décadas.

Apesar de ser uma classe relativamente nova de sistema de armas, a energia direcionada, de acordo com os autores do relatório, agora pode ser crítica para o sucesso futuro das forças armadas dos Estados Unidos.

Talvez o mais interessante sobre o relatório, entretanto, sejam suas referências a "campos de força", algo que até agora tem sido principalmente matéria de ficção científica.

De acordo com os autores, "uma frota ou constelação suficientemente grande de sistemas DEW de alta altitude" poderia ser usada para fornecer um "guarda-chuva de defesa antimísseis, como parte de um sistema de defesa em camadas, se tais conceitos se mostrarem acessíveis e necessários."

Outras aplicações para campos de força listados no relatório incluem sistemas de contra-drones, sistemas de contra-mísseis e até mesmo um "raio de dor" - todos usando variações da tecnologia de energia direcionada.

"Em 2060, podemos prever que os sistemas de DE se tornarão mais eficazes, e essa ideia de um campo de força inclui métodos para destruir outras ameaças também", disse Jeremy Murray-Krezan, vice-cientista-chefe do AFRL, em um comunicado à imprensa.

"Eventualmente, pode haver potencial para atingir o penúltimo objetivo de um guarda-chuva nuclear ou de mísseis balísticos. É divertido pensar sobre o que isso poderá ser em 2060, mas não queremos especular muito."

 
});