O fenômeno da abdução alienígena já é inerentemente estranho, temos casos de pessoas que afirmam terem sido levadas embora por entidades não-humanas. Uma das áreas mais estranhas do fenômeno são os chamados “implantes”, nos quais essas entidades têm escondido dentro do corpo do abduzido algum tipo de chip ou dispositivo de metal por razões desconhecidas. Há vários casos que apresentam esse aspecto estranho, e um dos mais notórios implantes alienígenas vem de um humilde trabalhador da construção que um dia saiu em uma viagem, e inesperadamente descobriu um implante inexplicável em seu braço.

Tudo começou com uma premonição. Em 2 de abril de 1978, um empreiteiro de cimento de Yuma, Colorado, com o nome de Tim Cullen, acordou de um pesadelo terrível. Nele, ele se envolveu em um terrível acidente de carro ao longo de um trecho solitário da rodovia, o realismo foi tão grande que ele pôde ver cada detalhe da paisagem ao seu redor enquanto o acidente acontecia. Deitado na cama ficou aterrorizado com as imagens do pesadelo ainda na sua mente. 

Em 9 de abril, Cullen estava dirigindo com seu amigo, Ken Ruberg, ao longo da Rodovia 34 quando foi atingido por uma repentina percepção de que era o mesmo trecho da estrada do pesadelo que tivera uma semana antes. Foi tão assustador que ele imediatamente pensou em parar o carro e voltar para casa, mas era tarde demais. Enquanto ele entrava em pânico relembrando as cenas de seu pesadelo, o carro saiu do seu controle e capotou cinco vezes na estrada, deixando-o incapaz de se mover e com o pescoço gravemente ferido. Ruberg de alguma forma escapou e ajudou seu amigo a sair do veículo antes de acenar para um veículo que passava e levar Cullen a um hospital, onde foi descoberto que ele havia fraturado o pescoço. Ele foi sedado e submetido a uma cirurgia, durante a qual teve outro sonho mais vívido e atormentador, desta vez uma luz estranha pairava sobre seu carro enquanto ele e sua esposa olhavam maravilhados.

Em 30 de maio de 1978, Cullen foi ao hospital para fazer um check-up em seu pescoço, que ainda estava enrolado em uma cinta. A visita ao médico correu bem e eles voltaram para casa ao longo de um trecho solitário da Rodovia 59, passando por extensos campos de feno e pastagens. Enquanto dirigiam, por volta das 23 horas ele foi novamente atingido por uma espécie de déjà vu, já que havia vivido esse momento antes no sonho que tivera no hospital sob sedação. Ele estava convencido de que o sonho, como o do acidente, era uma premonição, e instintivamente olhou em volta em busca da luz que tinha visto. No início, havia apenas escuridão e, em seguida, um objeto iluminado surgiu por trás de uma colina baixa, passou bem na frente do carro deles e, mais uma vez, mergulhou abaixo da colina. Cullen diria sobre o que aconteceu:

Ele se afastou um pouco, ao lado, e quando parei o carro, ele voltou um pouco em nossa direção. Eu dei ré com o carro e o OVNI saiu para o oeste de nós. Tinha cerca de trinta metros de comprimento e seis de largura e cerca de dez metros de altura. Não fez nenhum barulho. Havia duas luzes difusas que brilhavam na parte de trás da nave, uma amarela clara e outra vermelha. Depois de olharmos para as duas luzes por alguns minutos, virei-me para minha esposa e disse-lhe que era melhor irmos para a cidade. 

As coisas ficariam ainda mais estranhas quando vários anos depois, em 1980, Cullen teve outro encontro com uma nave semelhante com “duas luzes amarelas difusas” exatamente no mesmo local na Rodovia 59, e isso não foi o fim de suas experiências com OVNIs. Em 1994, ele estava dirigindo com sua esposa e três filhas cerca de 40 milhas ao sul de Yuma quando todos eles testemunharam uma nave mal iluminada com luzes azuis e brancas pairando sobre a estrada bem na frente. Eles pararam o carro e observaram por cerca de 10 minutos antes das luzes sumirem.

Em 1998, Cullen estava no trabalho quando atingiu o polegar com um martelo. Pensando que seu dedo estava quebrado ou pelo menos deslocado, ele foi ver o Dr. Mark Hubner na Clínica Yuma e fez um raio-x. Após o procedimento, Hubner ficou um pouco confuso porque parecia que havia um pedaço de metal no braço de Cullen. Não deveria estar lá, já que Cullen nunca tinha feito qualquer tipo de cirurgia em seu braço, deixando-o tão confuso quanto o médico. Foi quando tudo de repente fez sentido na sua mente, o acidente, o tempo perdido, os avistamentos de OVNIs subsequentes, se convenceu de que tudo tinha algo a ver com aquela coisa em seu braço. Ele diria sobre isso:

Eu soube então o que tinha acontecido, era um implante alienígena daquele primeiro encontro em 1978. Houve perda de tempo naquela noite. Devo presumir que fui abduzido. Em um curto espaço de tempo os eventos que aconteceram comigo nos últimos 27 anos tiveram um efeito enorme em minha vida e no que eu acredito.

Desesperado por respostas, Cullen procurou a comunidade OVNI e conseguiu entrar em contato com o Dr. Roger K. Leir na Califórnia, que havia se tornado uma espécie de especialista em supostos implantes alienígenas. Após um ano de correspondência, Cullen fez uma viagem a um centro médico em Thousand Oaks, Califórnia, a fim de se submeter a uma cirurgia para remover o objeto estranho em seu braço, e seria o nono procedimento que Leir realizaria. A equipe cirúrgica, que incluía Leir e o Dr. John D, removeu um minúsculo fragmento de metal medindo cerca de 7 milímetros de comprimento e 4 milímetros de largura e com uma série de longos proceptores em uma das extremidades que foram presos às terminações nervosas. Todo o corpo estava aparentemente coberto por uma membrana marrom-avermelhada, cuja finalidade era evitar a rejeição do corpo. Segundo o Dr. Leir, o implante deveria ser analisado:

O implante foi entregue à DIGITAL INSTRUMENTS, aqui na Califórnia, para análise completa. Parece que quanto mais investigamos e aprendemos, mais perguntas temos. A Digital Instruments possui tecnologia para medir e analisar a matéria, 10 átomos por vez. Estamos pesquisando os aspectos biológicos e metalúrgicos do implante de Tim. Novamente, quanto mais conhecimento adquirido, mais precisamos saber.

Não está claro quais resultados esta análise revelou e, enquanto isso, Cullen se tornou um pouco defensor de outros supostos abduzidos alienígenas que tiveram implantes colocados neles. Ele é notável por ser franco sobre o assunto e por permitir que seu nome verdadeiro fosse usado onde tantos outros como ele preferiram permanecer anônimos. 

​​[Mysterious Universe]

 
});