Em um planalto na Sibéria, a única escola no lugar habitado mais frio do planeta enfrenta temperaturas abaixo de -50 °C. A escola mais fria do mundo. Imagem: Semyon Sivtsev / The Siberian Times

A cidade russa de Oymyakon, no leste da Sibéria, só fecha as portas de sua única escola quando a temperatura cai para -56 ºC. No entanto, os mais pequenos podem ficar em casa quando o termômetro indicar -52 ºC. Se assim não fosse, as crianças desta região e das duas aldeias vizinhas Khara Tumul e Bereg Yurde nunca iriam às aulas, pois no inverno a temperatura média nesta parte do planeta é 40 ºC abaixo de zero.

Nikolay Krivoshapkin é o nome desta escola fundada em 1932, em homenagem a um conhecido personagem local. Os alunos entram no campus quando ainda está escuro (às 9 da manhã até às 10) e voltam para casa às 5 da tarde, novamente no meio da escuridão porque o sol se põe a partir das 2.

A jornada para a escola não é fácil. De acordo com o fotógrafo local Semyon Sivtsev:

“As crianças locais vão para a escola com seus pais e frequentemente com cães também; estudantes de outras cidades precisam pegar um ônibus para chegar até aqui. A viagem de ônibus leva de 10 a 18 minutos.”


A escola mais fria do mundo. Imagem: Semyon Sivtsev / The Siberian Times

É o assentamento humano mais frio do mundo. Em 26 de janeiro de 1926, foi registrada nesta região uma temperatura recorde de -71,2 ºC, a mais baixa já registrada em uma área habitada.

Até mesmo o solo aqui está permanentemente congelado formando permafrost.


As crianças se reúnem para as aulas em Oymyakon, Yakutia, a -51 °C. Imagens: Semyon Sivtsev / The Siberian Times

Oymyakon é uma comunidade rural com cerca de mil habitantes, a maioria dos quais desenvolve atividades de mineração. Assim o descreveu o meteorologista espanhol Mario Picazo:

“Em Oymyakon, as pessoas vivem da mineração. Recebe dinheiro do estado para a extração de ouro e possui minas de antimônio. A criação de gado e cavalos é outra das atividades econômicas da população.”

“Existe aquecimento para toda a cidade graças a uma central térmica ao serviço de todos e que funciona a carvão 24 horas por dia. As casas são muito bem acondicionadas para o frio, mas não têm água encanada porque os canos congelam.”

[Grandes Medios]

 
});