"O trabalho de restauração mais demorado foi feito para o crânio do 'czar'", escreveram os antropólogos Elizaveta Veselovskaya e Ravil Galeev.

"Apenas metade do crânio foi preservado, o que tornou a tarefa muito mais complicada."

"A restauração da área do cérebro não foi particularmente difícil, pois a metade restante tornou possível espelhar a parte destruída."

"Grandes dificuldades foram associadas à restauração da seção facial. Infelizmente, menos da metade da face foi preservada e elementos do crânio importantes para a reconstrução foram perdidos."

No entanto, apesar dessas dificuldades, o resultado final é inegavelmente impressionante.
 
});