Nas línguas modernas, Lúcifer é um dos nomes de Satanás. No entanto, do latim, a palavra lúcifer é traduzida literalmente como “luminífero” e vem das palavras lux (“luz”) e phero (“carregar”). Que tipo de luz é essa que o governante infernal carrega?


Os antigos romanos chamavam o planeta Vênus pela palavra Lúcifer, ou seja, a “estrela da manhã”, que é melhor do que todos os outros corpos celestes visíveis no firmamento matutino (e também noturno). A propósito, esse nome é “papel vegetal” do grego antigo: os gregos antigos chamavam essa entidade celestial de Fósforo (de Φωσφόρος - “transportando luz”).

Lúcifer significa  'aquele que traz luz' . De φῶς (phôs, “luz”) + -φόρος (-phóros, “portando”), de φهω (phérō, “Eu carrego”).


Por que o nome da estrela se tornou o nome de Satanás? Isso aconteceu em decorrência de “dificuldades de tradução”. A Bíblia, no livro de Isaías, contém uma profecia sobre a morte do rei da Babilônia - um terrível inimigo dos antigos judeus. Se parece com isso:

“Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! como foste lançado por terra tu que prostravas as nações!”

“Estrela da manhã” e “filho da alva” aqui nada mais são do que magníficos títulos orientais do governante. Quando Jerônimo de Stridonsky, o primeiro tradutor da Bíblia para o latim, traduziu esta passagem, ele traduziu a palavra hebraica הֵילֵל (“heylel”, “estrela da manhã”) como lúcifer, porque é assim que a estrela da manhã era chamada em latim.


No entanto, os cristãos, contemporâneos de Jerônimo, associaram essa passagem não ao rei da Babilônia - a personificação do mal para os antigos israelitas, mas a seu inimigo - Satanás. E a palavra “lúcifer”, que era apenas o título do rei da Babilônia, começou a ser escrita em maiúscula. Portanto, o nome inócuo da estrela tornou-se um nome terrível e infernal.

O outro erro de tradução de Jerônimo levou a um mal-entendido. Na Idade Média e na Renascença, os artistas e escultores europeus representaram Moisés - o principal profeta bíblico com chifres na cabeça! Por quê?




A Bíblia diz que quando Moisés desceu do Monte Sinai, seu rosto estava radiante. Em hebraico, as palavras “raio” e “chifre” são semelhantes. Então Jerônimo entendeu: “Seu rosto resplandecia, depois de haver Deus falado com ele”.

[SouLask]

 
});