O incidente ocorreu em Portugal: Sonia Acevedo, de 41 anos, foi vacinada com a vacina da Pfizer, mas algo não correu conforme o planejado. A mulher morreu repentinamente dois dias depois.

A morte ocorreu 48 horas após a aplicação sem sucesso da vacina contra o coronavírus, pouco antes das comemorações do Ano Novo, ela trabalhou como assistente de pediatra no Instituto de Oncologia do Porto. Após a vacinação, não houve sintomas, mas o coração parou.

Sonya tem mais dois filhos, o pai da mulher entre lágrimas, disse aos repórteres que não sabia absolutamente nada, que precisava de respostas. O hospital confirmou o fato da vacinação no dia 30 de dezembro. A mulher não foi avisada sobre os efeitos colaterais antes ou durante a administração da vacina.

A enfermeira conseguiu mudar a foto nas redes sociais, sinalizando que a vacinação foi concluída. Ninguém poderia ter pensado que tudo acabaria tão triste.

A morte ocorreu na casa do companheiro de Sonya na Trofa, além da enfermeira, outras 538 pessoas do instituto receberam a vacina da Pfizer.

[Planeta]

 
});