No início dos anos 1960, havia um serial killer conhecido como Zodiac nos Estados Unidos. O agressor era especialmente sensível ao horóscopo das vítimas e usava símbolos astrológicos em suas anotações. Curiosamente, até hoje, a identidade do assassino não foi revelada.

O homem criptografou informações sobre si mesmo e as enviou aos jornais. Em seu material, o maníaco afirmava que já havia matado 37 pessoas, mas apenas em sete casos a polícia comprovou o envolvimento do Zodíaco.

Uma das cifras que foi recebida pela equipe editorial do San Francisco Chronicle, foi resolvida por cientistas apenas 51 anos depois. A nota trazia o nome de "Código 340". 340 - é quantos caracteres havia no papel. Cientistas dos EUA, Austrália e Bélgica estiveram envolvidos na solução do quebra-cabeça. Todos esperavam que fosse possível descobrir o nome do maníaco, mas os cientistas ficaram desapontados.

O zodíaco escreveu que persegui-lo provavelmente é muito divertido. “Não tenho medo da morte, porque irei ao Paraíso mais cedo. Agora tenho escravos suficientes. Eles têm medo de morrer, mas eu não."

O especialista David Oranchak tentou desenvolver um programa para descriptografia automática de textos, mas falhou. Essa foi a segunda carta,  a primeiro foi resolvida por um casal americano em 1969. Com a ajuda de uma cifra, o Zodíaco explicou por que cometera os assassinatos.

[Planeta]

 
});