Alguns animais de estimação são campeões em comer e dormir. (Imagem: © Shutterstock)

 

Um cachorro roncando à tarde no chão da sala. Morsas cochilando de barriga para cima na praia. Um hipopótamo cochilando em um banco de lama. 

Essas cenas de sono podem fazer as pessoas se perguntarem por que esses outros mamíferos parecem dormir muito mais do que os humanos. Eles realmente precisam dormir mais? Eles estão apenas dormindo porque podem? Os humanos deveriam dormir mais também?

Esteja preparado para uma resposta surpreendente e fascinante a estas perguntas: 

Ninguém sabe.

Embora constantemente estudado, o sono é um dos grandes mistérios que a ciência moderna ainda não desvendou completamente. "Nós realmente não sabemos para que serve o sono", disse o Dr. David Raizen, professor associado de neurologia da Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia.

Raizen disse que os cientistas identificaram relações entre o sono e a função animal - certos tipos de sono podem aumentar a capacidade de uma criatura de lutar contra doenças ou consolidar memórias. No entanto, essas associações não descrevem necessariamente o propósito final do sono e podem ser enganosas.

"Um morcego marrom que dorme 20 horas por dia, você pensaria que seria um gênio", disse Raizen, falando sobre a ideia de que o sono serve ao aprendizado e à memória. Da mesma forma, um estudo de 2017 publicado na revista PLOS One descobriu que os elefantes dormem em média apenas duas horas por noite, mas sabe-se que os elefantes são animais inteligentes com memórias muito boas.

"Essa diferença na quantidade de sono tem sido usada como argumento contra uma função central do sono", disse Raizen. Como o sono pode ser tão importante se um animal como um elefante é perfeitamente funcional com apenas duas horas, enquanto um humano típico precisa quádruplo disso?

Mas Raízen acha que o sono tem uma função central, embora ainda mal compreendida. O sono foi observado em todos os animais já estudados pela ciência, disse Raizen, tornando-o tão universal em todas as formas de vida quanto a ingestão de energia. Estudos também mostraram que os corpos de vários animais começam a se decompor se eles forem continuamente privados de sono, sugerindo que o sono é essencial.

Uma ideia é que o sono nos mamíferos tem a ver com o tamanho do corpo e a dieta, de acordo com um estudo de 2005 na revista Nature. Em muitos estudos sobre o sono de mamíferos, os cientistas observaram que menos sono está correlacionado com tamanhos corporais maiores, e essa correlação é mais forte e mais extrema entre os herbívoros do que entre os carnívoros.

Uma razão para isso pode ser que quanto maior é o animal, mais calorias ele precisa e mais tempo para se alimentar. Os herbívoros tendem a depender de alimentos que são muito menos densos em calorias do que os carnívoros, portanto, precisam engolir muito mais. Isso poderia explicar em parte por que um elefante precisa apenas de duas horas por dia, disse Raizen.  

No entanto, a questão está longe de ser resolvida. O sono é complexo, difícil de medir em animais selvagens e ainda mais difícil de interpretar.

Nesse sentido, é importante lembrar que algumas diferenças no sono observado podem não ser o que parecem. Só porque um gato doméstico dorme 18 horas por dia não significa que ele precisa de todo aquele sono para funcionar, disse Raizen. Um pouco de sono é provavelmente uma questão de conveniência - feito quando não é seguro para um animal sair de casa, quando a disponibilidade de comida é baixa ou simplesmente porque não há mais nada a fazer. 

Quanto ao sono humano? 

Raizen disse que o mais importante é que as pessoas ouçam seus corpos e durma o quanto necessitar - o que é cerca de oito horas para a maioria das pessoas, mas pode durar apenas 5 ou 11 para outras.

 [Livescience]

 
});