Ciência pode nos tornar mais jovens novamente? Crédito da imagem: sxc.hu

Em um estudo pioneiro no mundo, o processo de envelhecimento biológico foi revertido em um grupo de voluntários idosos.

A humanidade tem estado obcecada em ganhar a imortalidade há milhares de anos, apesar dos incríveis avanços na ciência e na medicina alcançados nos últimos séculos, nossa espécie ainda permanece vulnerável ao processo de envelhecimento.

No entanto, isso pode mudar graças a um estudo científico recente que buscou reverter dois indicadores-chave do envelhecimento biológico - comprimento dos telômeros e acúmulo de células senescentes - por meio de um processo conhecido como terapia de oxigênio hiperbárico.

A pesquisa, realizada por cientistas da Universidade de Tel Aviv e do Centro Médico Shamir, envolveu a colocação de voluntários em uma câmara pressurizada onde receberam oxigênio puro por 90 minutos, cinco dias por semana por cerca de três meses.

Incrivelmente, após o término do teste, o comprimento dos telômeros e o acúmulo de células senescentes foram considerados equivalentes aos de alguém 25 anos mais jovem.

"Uma vez que o encurtamento do telômero é considerado o 'Santo Graal' da biologia do envelhecimento, muitas intervenções farmacológicas e ambientais estão sendo amplamente exploradas na esperança de possibilitar o alongamento do telômero", disse o co-autor do estudo Shai Efrati.

"A melhoria significativa do comprimento dos telômeros mostrada durante e após esses protocolos HBOT exclusivos fornece à comunidade científica uma nova base de compreensão de que o envelhecimento pode, de fato, ser direcionado e revertido no nível biológico celular básico."

O que essas mudanças podem significar para a saúde do dia-a-dia dos participantes, no entanto, permanece obscuro.

 
});