Água na Lua: Os cientistas não sabem dizer como a água acabou em latitudes temperadas. | Resumo.


A água está de alguma forma onde não se esperava que fosse vista. O líquido foi capturado pelo observatório estratosférico SOFIA, que está instalado a bordo de uma aeronave Boeing 747SP. Os voos a uma altitude de 15 km permitem-nos explorar detalhadamente a superfície do nosso satélite natural.

Como as novas imagens mostraram, a água está na cratera Clavius, que está localizada no hemisfério sul. O líquido ocupa um espaço de 40 mil metros quadrados. Sua concentração é de cerca de 412 partes por milhão, o que não é tanto: no Saara, por exemplo, é cem vezes mais.

Os cientistas não sabem dizer como a água acabou em latitudes temperadas. Existe alguma fonte, bem como uma força que retém o fluido. Os especialistas da NASA acreditam que a água pode ser distribuída por toda a superfície de nosso satélite natural, e não apenas em cantos isolados.

Os cientistas não pretendem parar em suas pesquisas: eles querem chegar ao fundo da verdade. O objetivo principal é saber não só de onde vêm os estoques, mas também quantos são.

O fato de que a lua não está seca foi descoberto por cientistas soviéticos: a água estava presente nas amostras de rocha lunar em uma forma limitada. Os especialistas apontam que, se você espremer toda a água da lua, ela formará uma camada de um metro de espessura. É importante observar que o líquido da lua está congelado, ou seja, é semelhante ao da terra. Pesquisadores da NASA em 2009 provaram que há muito mais água real no satélite do que muitos cientistas pensavam.

[Planeta]

 
document.querySelectorAll('img').forEach(function(img) { img.src = img.src.replace('/s72-c','/s1600'); });