Fãs de filmes apocalípticos estão enfrentando melhor a pandemia. | Resumo.


Embora filmes de terror e pós-apocalípticos sejam principalmente ficção, eles podem ter efeitos significativos em nossas vidas reais. Um estudo recente mostrou que pessoas que gostam de filmes dos dois gêneros lidam melhor tanto fisicamente quanto mentalmente melhor com a pandemia. 

Um renomado psicólogo, Coltan Scrivner, disse a fontes da mídia que as pessoas enquanto assistiam a filmes pós-apocalípticos ensaiam involuntariamente as cenas. Scrivner é especialista em curiosidade mórbida na Universidade de Chicago. 

Trazendo a pandemia atual à vista, ele acrescentou que, exceto pela escassez de papéis higiênicos, os fãs de filmes mais experientes sabiam exatamente o que esperar. Scrivner também foi o autor do estudo de pré-impressão. O trabalho de pesquisa ainda não foi revisado por pares, mas foi publicado no PsyArXiv. 

Enquanto zumbis e invasões alienígenas podem não acontecer tão cedo, nosso mundo parece bem distópico agora. E filmes que lidam com esses temas abrem nossas faculdades imaginárias a essas possibilidades. No processo, aprendemos a navegar por essas situações quando for dada uma chance. 

Para provar isso, os pesquisadores coletaram dados de 310 pessoas. Eles perguntaram aos voluntários que gênero de filmes eles gostavam e quão bem eles estavam lidando com a pandemia atual. Eles também perguntaram se estavam sentindo irritabilidade, ansiedade, insônia ou depressão. 

Como esperado um grande número de fãs de filmes de terror mostrou tremenda resiliência durante um período de crise. Além disso, as pessoas que preferiam filmes pós-apocalípticos exibiam não apenas resiliência, mas também um maior nível de preparação. 

Curiosamente quando a pandemia de COVID-19 começou a ficar seria, muitos com mórbida curiosidade foram atraídos para Contágio. O filme trata de como uma doença viral leva a uma pandemia. Essas pessoas também mostraram um maior nível de resiliência neste momento de crise.

Os psicólogos monitoraram outros fatores como sexo, idade e traços de personalidade. Por tudo isso, a pesquisa sugere que eventos assustadores mesmo imaginários, ajudam a preparar as pessoas para o pior. 

Muitos psicólogos acreditam que assistir filmes pós-apocalípticos são como exercícios mentais. Inconscientemente captamos todas as possibilidades relevantes e as aplicamos a situações reais. Como surgem conflitos e como as instituições públicas ou privadas se comportam são apenas alguns dos exemplos que podemos aprender com essas simulações mentais. 

A ficção pode incentivar o regulamento da emoção

Os pesquisadores disseram ainda que pessoas com curiosidade mórbida reúnem todas as informações necessárias para lidar com situações distópicas. E, de certa forma, isso poderia ajudá-los a lidar com as crises da vida real. 

Uma onda no streaming do Contágio também pode significar pessoas buscando sensação. Esse tipo de comportamento está ligado a pessoas que procuram maior prazer e excitação do gênero terror. 

O estudo revelou que os fãs de terror lidaram melhor durante essa crise. Embora exibissem menos angústia mental, não exibiam maior preparação ou resiliência. 

E as pessoas que preferiram filmes pós-apocalípticos mostraram maior resiliência e maior nível de preparação. Isso também pode significar que eles são extremamente vigilantes. Esse comportamento pode levar a repercussões psicológicas a longo prazo. 

Os pesquisadores explicaram que a ficção pode simular situações angustiantes e incentivar um maior grau de regulação emocional. 

[TruthTheory]

 
document.querySelectorAll('img').forEach(function(img) { img.src = img.src.replace('/s72-c','/s1600'); });