Sexta Extinção em Massa de Animais Selvagens da Terra Continua Acelerando. | Resumo.


Novas pesquisas indicaram que a perda global de vertebrados terrestres está subindo rapidamente a uma velocidade acelerada, com centenas de espécies agora oscilando no precipício da extinção.

Os pesquisadores da Universidade de Stanford mostram como milhares de espécies em todo o mundo e sob ameaça de extinção devido às pressões humanas, incluindo crescimento populacional, destruição de habitats, comércio de animais silvestres, poluição e das Alterações Climáticas.

Uma das principais espécies ameaçadas é o Rinoceronte de Sumatra. (Imagem ilustrativa: Pixabay)

Eles descobriram que pelo menos 515 espécies de vertebrados terrestres têm menos de 1.000 indivíduos restantes e podem sofrer extinção nas próximas duas décadas, a maioria das quais vive em regiões tropicais e subtropicais nas Américas, África e Ásia. Exemplos desses animais incluem o rinoceronte-de-sumatra ( Dicerorhinus sumatrensis ), a tartaruga gigante espanhola ( Chelonoidis hoodensis ) e o sapo arlequim; criaturas estranhas e maravilhosas que têm apenas um pequeno punhado de indivíduos. 

Por contexto, 543 espécies de vertebrados terrestres foram extintas ao longo de todo o século XX. 

Uma das principais descobertas do estudo foi o efeito dominó que a extinção pode ter sobre outras espécies - "a extinção gera extinções", nas palavras do estudo. Até 84% das espécies com população abaixo de 5.000 indivíduos vivem nas mesmas áreas que espécies com população abaixo de 1.000, o que os pesquisadores sugerem é evidência de uma reação em cadeia na qual uma espécie em luta pode desestabilizar o ecossistema mais amplo e seus habitantes. Esse efeito dominó parece ser especialmente perceptível em regiões tropicais em todo o mundo.

O relatório conclui dizendo que o sexto evento de extinção em massa em andamento deve ser considerado uma das "mais graves ameaças ambientais à persistência da civilização".










Com a Informação IFlscience.