dezembro 08, 2019
0

Havia uma grande escola que tinha a fama de ser assombrada. Construída no século passado o prédio possuía muitas salas e corredores aterrorizantes. Uma das lendas em torno do local dizia que uma professora infeliz por ser abandonada por seu noivo se suicidou em uma das salas.

Dizem que uma das inspetoras encontrou a pobre mulher enforcada, sua face estava branca e a língua lançada para fora. Na época o pessoal da escola escondeu o fato, pelo tempo máximo que pode afim de evitar que a escola ficasse mal falada.

Depois deste ocorrido algumas pessoas diziam ouvir choros e murmúrios pelos corredores durante a noite. Mas o que ajudou a aumentar a fama de assombrada no local ocorreu quase 60 anos depois da morte da professora.

Durante uma das aulas noturnas uma adolescente ficou até mais tarde para terminar um trabalho escolar e quando estava indo embora, percorrendo o longo corredor, passou por uma sala onde avistou uma mulher escrevendo no quadro negro. Estranhou suas vestimentas e procurou observou mais um pouco quando, de repente, a mulher virou-se e a menina sentiu suas pernas tremerem, seus cabelos se arrepiaram e uma sensação de pânico a invadiu.

A mulher não tinha rosto, sua face era lisa e tenebrosa. Com um grito de horror a garota venceu seu medo e saiu correndo, fugindo daquela estranha criatura. Já fora do local, enquanto era atendida por pessoas que foram atraídas pelos seus gritos, ela lembrava das palavras escritas no quadro negro: “Por favor me ajude, eu estou no inferno!”


Por André baseado em uma história ouvida em sua infância...

Os direitos sobre este conto pertencem ao autor e cópias somente podem ser feitas com sua autorização expressa. Publicações em sites, blogs e páginas do Facebook sem autorização serão denunciadas e solicitadas a sua exclusão aos servidores e responsáveis.












Com a Informação Clube dos Medos.

0 Comentários :

Postar um comentário