novembro 05, 2019
0

Cientistas podem ter encontrado o menor buraco negro já detectado, graças a uma nova técnica de combinar vários conjuntos de dados, de acordo com um estudo publicado na Science.

O buraco negro em um sistema binário chamado J05215658, localizado a cerca de 10.000 anos-luz de distância, na borda externa do disco da Via Láctea, tem cerca de 3,3 vezes a massa do Sol, de acordo com o estudo. Os pesquisadores ainda não confirmaram sua massa exata, no entanto, buracos negros tão pequenos haviam escapado da detecção – principalmente porque ninguém sabia como procurá-los.
O vice-líder do estudo, Todd Thompson, professor de astronomia da Universidade Estadual de Ohio (EUA), disse:
Sempre é interessante em astronomia quando você olha de uma nova maneira e encontra um novo tipo de coisa. Isso faz você pensar que todas as suas formas de olhar antes eram tendenciosas.
Os buracos negros observáveis ​​mais conhecidos são cerca de 5 a 15 vezes mais massivos que o Sol, pois são mais fáceis de detectar. Quando eles orbitam estreitamente estrelas em sistemas binários, os buracos retiram o material de suas companheiras. Esse processo de acreção emite radiação luminosa de raios-X que é observável nos telescópios. Buracos negros que são apenas duas a cinco vezes mais massivos que o Sol, supondo que existam, não parecem produzir essa assinatura de raios-X, tornando-os basicamente invisíveis para os cientistas.
Thompson disse:
Eu estava especificamente interessado em encontrar esses sistemas não interativos, a população não vista e desconhecida que deve estar lá fora,
Os cientistas ainda não sabem ao certo quão maciça uma estrela deve ser para se tornar um buraco negro depois de explodir em uma supernova, ou se há, talvez, um processo intermediário no qual uma estrela se torne temporariamente uma estrela de nêutrons, como estrelas com pequenas massas, e depois evolui para um buraco negro.
Thompson explicou:
Nós nos perguntamos se há algo entre as estrelas de nêutrons mais massivas, com cerca de 2,1 vezes a massa do Sol, e os buracos negros menos massivos e bem mensurados, com cinco massas solares. Então, existe essa lacuna.
Para detectar esses buracos, a equipe de Thompson examinou observações de cerca de 100.000 estrelas na Via Láctea usando o Experimento de Evolução Galáctica do Observatório Apache Point (de sigla em inglês, APOGEE). Eles procuraram sinais de estrelas em sistemas binários com buracos negros da mesma maneira que alguns pesquisadores de exoplanetas detectam mundos em torno de outras estrelas – observando se as estrelas parecem ser gravitacionalmente influenciadas por um objeto próximo.
Os pesquisadores usaram dados da Pesquisa Automatizada All-Sky para Supernovas (de sigla em inglês, ASAS-SN) para refinar ainda mais a pesquisa.
Thompson disse:
Ao combinar esses dois conjuntos de dados, literalmente em um dia, encontramos essa estrela. Isso acabou sendo uma maneira incrivelmente eficiente de encontrar esse objeto interessante.
Embora 3,3 massas solares seja a estimativa mais provável apresentada no estudo, a equipe acredita que o objeto J05215658 poderia ter potencialmente de 2,5 a 5 vezes a massa do Sol. Alguns outros buracos negros foram descobertos com margens de erro que se sobrepõem a esse intervalo, para declarar esse objeto como o menor buraco negro já encontrado, levará mais tempo – e medições.
Agora, a equipe pretende usar a técnica pioneira de Thompson e seus colegas para determinar se há outros buracos negros a serem descobertos.




Com a Informação Ovni Hoje.

0 Comentários :

Postar um comentário