novembro 19, 2019
0

A Fundação de Pesquisa Doubting Thomas (DTRF, na sigla em inglês) revelou imagens do que se acredita serem inscrições em hebraico antigo em Jabal al-Lawz, na Arábia Saudita. O local, conhecido como “montanha das amêndoas”, com dois mil e quinhentos metros de altura, se encontra no nordeste do país árabe, próximo à sua fronteira com a Jordânia.
De acordo com a Bíblia, Moisés conduziu os judeus para o Monte Sinai, que estava envolto em fogo, fumaça e trovões.
Os especialistas da fundação afirmam que Jabal al-Lawz é, de fato, a montanha descrita na Bíblia. A teoria é apresentada em vídeo no Youtube, que já recebeu mais de 2 milhões de visualizações.
Descobrindo a montanha de Moisés: O verdadeiro Monte Sinai na Arábia Saudita
Além disso, no site da DTRF foi divulgada uma série de fotos que se acredita serem em hebraico antigo.
Na área foi encontrada o que seria uma das mais antigas representações de um Menorah (candelabro). O doutor Sung Hak Kim, autoridade em física na Arábia Saudita, alega ter encontrado o desenho deste antigo símbolo do judaísmo, com o formato de sete velas, que teria sido feito durante o Êxodo [do povo hebreu].
As imagens parecem moslíngua antigatrar um grande número de inscrições e desenhos em rochas em torno da possível localização do Monte Sinai. Acredita-se que a presença dessas inscrições prova que havia falantes de hebraico na região nesses tempos remotos.
O doutor Miles Jones, especialista em línguas arcaicas, examinou as fotografias e disse que podem ser “hebraico antigo”, segundo os pesquisadores da DTRF. Os cientistas também alegam que as inscrições datam de um período próximo da época em que o Êxodo teria ocorrido.
Além das inscrições em hebraico, parece igualmente haver pegadas gravadas em algumas das pedras ao redor. De acordo com a Bíblia, Deus teria dito aos judeus: “Todos os lugares tocados pelos seus pés serão seus”.
Todos estes vestígios levam os pesquisadores a sugerir que estas pegadas podem ter sido uma marca deixada pelos hebreus durante o Êxodo.
A Fundação de Pesquisa Doubting Thomas aponta outras evidências que comprovariam a teoria. Em Jabal al-Lawz haveria cavernas com gravuras rupestres representando a história do “bezerro de ouro”, mencionada na Bíblia.
As autoridades sauditas levantaram cercas em torno da montanha, marcando o local como um sítio arqueológico, mas outros especialistas sauditas desmentem as afirmações de que Jabal al-Lawz seja o Monte Sinai.
Os pesquisadores da DTRF lançaram o projeto “The Sinai in Arabia” para solicitar ao Governo saudita que preserve o local para futuras investigações.















Com a Informação Sputnik.

0 Comentários :

Postar um comentário