outubro 21, 2019
0

A Terra é esférica, mas a crença em uma Terra plana se recusa a morrer. Um estudo revelador do Observatório Lamont-Doherty da Universidade de Columbia explica o que aconteceria se nosso planeta fosse realmente plano.

Em primeiro lugar, um planeta plano, como o defendido pela Sociedade da Terra Plana, não poderia ter gravidade. Não está claro como a gravidade funcionaria ou seria criada em um mundo assim, diz o geofísico de Lamont-Doherty, James Davis.
É um grande problema, pois a gravidade explica uma ampla gama de observações terrestres e cósmicas. A mesma força mensurável que faz uma maçã cair de uma árvore também faz com que a Lua orbite ao redor da Terra e todos os planetas orbitem ao redor do Sol.
As pessoas que acreditam em uma Terra plana presumem que a gravidade age diretamente, mas não há evidência alguma que sugira que ela funcione dessa maneira. O que sabemos sobre a gravidade sugere que ela seria lançada em direção ao centro do disco que forma a suposta Terra plana.
Isso significa que atuaria apenas em um ponto no centro do disco. À medida que nos afastássemos do centro, a gravidade puxaria cada vez mais horizontalmente.
Isso teria alguns impactos estranhos, como sugar toda a água em direção ao centro do mundo e fazer com que árvores e plantas crescessem na diagonal, uma vez que elas se desenvolvem na direção oposta à atração pela gravidade.
Depois, há o Sol. No modelo real cientificamente apoiado do sistema solar, a Terra gira em torno do Sol, porque este é muito mais massivo e tem mais gravidade. No entanto, a Terra não cai no Sol porque viaja em sua órbita.
Em outras palavras, a gravidade do Sol não está agindo sozinha. O planeta também está viajando em uma direção perpendicular à força gravitacional da estrela. Se fosse possível desativar essa gravidade, a Terra dispararia em linha reta e deixaria o sistema solar.
Em vez disso, o impulso linear e a gravidade do Sol se combinam, resultando em uma órbita circular ao redor do Sol. O modelo plano da Terra coloca nosso planeta no centro do universo, mas não sugere que o Sol orbita a Terra.
Pelo contrário, o Sol gira acima do mundo como um carrossel, emitindo luz e aquecendo como uma lâmpada de mesa.
Sem o impulso linear e perpendicular que ajude a gerar uma órbita, não está claro qual força impediria que o Sol e a Lua caíssem na Terra, diz Davis.
Da mesma forma, em um mundo plano, satélites artificiais provavelmente não seriam possíveis. Como eles orbitariam uma superfície plana?
Davis diz:
Há várias missões de satélite das quais a sociedade depende, as quais simplesmente não funcionariam.
Por esta razão ele disse:
Não sei como o GPS funcionaria em uma Terra plana.
Se o Sol e a Lua simplesmente girarem em torno de um lado de uma Terra plana, é provável que haveria uma procissão de dias e noites.
Mas a teoria da Terra plana não explica as estações, os eclipses e muitos outros fenômenos. O Sol também deveria ser, presumivelmente, menor que a Terra, para não queimar ou colidir contra nosso planeta ou a Lua. No entanto, sabemos que o Sol tem mais de 100 vezes o diâmetro da Terra.
Nas profundezas do nosso planeta, o núcleo sólido da Terra gera o campo magnético. Mas em um planeta plano, isso teria que ser substituído por outra coisa. Talvez uma folha de metal líquido.
Isso, no entanto, não giraria de maneira a criar um campo magnético. Sem um campo magnético, as partículas carregadas do Sol fritariam o planeta. Elas poderiam eliminar a atmosfera, como fizeram depois que Marte perdeu seu campo magnético, e o ar e os oceanos escapariam para o espaço.
O movimento da placa tectônica e a sismicidade dependem de uma Terra redonda, porque apenas em uma esfera todas as placas se encaixam de maneira sensata, diz Davis. Os movimentos das placas de um lado da Terra afetam os movimentos do outro.
Áreas da Terra que criam crosta, como a cordilheira do meio do Atlântico, são neutralizadas por locais que consomem crosta, como zonas de subducção. Em uma Terra plana, nada disso poderia ser adequadamente explicado.
Também deveria haver uma explicação sobre o que acontece na extremidade do mundo. Uma pessoa pode imaginar que poderia cair para fora do mundo, mas isso provavelmente também colocaria em risco a barreira proposta que impede as pessoas de cairem fora do mundo em forma de disco.
Talvez uma das curiosidades mais impressionantes seja que o mapa proposto da Terra plana seja totalmente diferente. Coloque o Ártico no centro, enquanto a Antártica forma uma ‘parede de gelo’ em volta das bordas. Nesse mundo, viajar seria muito diferente. Voar da Austrália para certas partes da Antártica seria, por exemplo, uma eternidade: você teria que viajar pelo Ártico e pelas duas Américas para chegar lá. Além disso, certos feitos do mundo real, como viajar pela Antártica (o que já foi feito muitas vezes), seriam impossíveis.
Ao contrário da crença popular, é um erro pensar que muitas sociedades de pessoas sérias e educadas realmente acreditavam na teoria da Terra plana.
O historiador Jeffrey Burton Russell disse em 1997:
Com poucas exceções extraordinárias, nenhuma pessoa educada na história da civilização ocidental desde o terceiro século de nossa era acreditava que a Terra é plana.
E Davis ainda disse:
Uma Terra redonda aparece pelo menos desde o século VI a.C., com Pitágoras, seguida por Aristóteles, Euclides e Aristarco, entre outros, ao observarem que a Terra realmente era uma esfera.










Com a Informação Ovni Hoje.

0 Comentários :

Postar um comentário