Estamos caminhando para o fim da sociedade moderna como a conhecemos? Crédito da imagem: PD - Alfred Palmer

Um relatório do MIT de 1972 previu que a civilização moderna entraria em colapso em meados do século XXI.

Há pouco menos de 50 anos, uma equipe de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts se reuniu para investigar os riscos de colapso social.

O modelo de dinâmica de sistema que eles criaram previa que a civilização industrial moderna estava em vias de entrar em colapso em meados do século 21 devido à superexploração dos recursos naturais do planeta - algo que parece perigosamente perto de se tornar realidade.

Embora na época as descobertas da equipe tenham sido amplamente criticadas e deturpadas, um estudo mais recente escrito pelo diretor sênior de uma grande empresa de contabilidade concluiu que as previsões dos pesquisadores do MIT sobre o colapso social deveriam ser levadas muito mais a sério.

"Dada a perspectiva desagradável de colapso, eu estava curioso para ver quais cenários estavam mais alinhados com os dados empíricos hoje", disse o autor do estudo Gaya Herrington, da KPMG.

"Afinal, o livro que apresentou esse modelo mundial foi um best-seller na década de 70, e agora teríamos várias décadas de dados empíricos que tornariam uma comparação significativa."

"Mas, para minha surpresa, não consegui encontrar tentativas recentes para isso. Então, decidi fazer sozinho."

De acordo com Herrington, o colapso "não significa que a humanidade deixará de existir", mas significa que "o crescimento econômico e industrial vai parar e, em seguida, declinar, o que afetará a produção de alimentos e os padrões de vida".

"Mesmo quando combinado com o desenvolvimento e adoção de tecnologia sem precedentes, o business as usual modelado pelo LtG levaria inevitavelmente a declínios no capital industrial, produção agrícola e níveis de bem-estar neste século", diz o estudo.

 
});