Chegam a notícia de que cientistas israelenses estão trabalhando em mais uma tentativa de criar um híbrido porco-humano sob o pretexto de desenvolver uma fonte abundante de órgãos para transplante humano sem a necessidade de doadores humanos. 

“Procuramos produzir um forro alternativo que não causasse rejeição de órgãos. Em vez de destruir o órgão inteiro, visamos apenas uma parte dele - o mais importante. Retirei a camada interna dos vasos sanguíneos do porco e substituí-a por uma humana, gerando um órgão híbrido, retirado do porco, mas com vasos sanguíneos humanos. Desta forma, conseguimos ultrapassar a barreira entre os órgãos do porco e dos humanos”.

Em adevarul.ro, o Dr. Shahar Cohen explica como ele e sua equipe do Hospital Beilinson de Israel superaram uma grande barreira para o transplante de órgãos de suínos em humanos - a rejeição pelo sistema imunológico do corpo humano. Como ele detalha no estudo, publicado na revista Scientific Reports, Cohen e sua equipe criaram um híbrido porco-humano substituindo os vasos sanguíneos de porco por humanos - um processo chamado “descelularização vascular” - enganando assim o sistema imunológico. As células para criar os vasos sanguíneos vieram de placentas humanas, que de certo modo fazem a mesma coisa para enganar o útero para não rejeitar o feto.

“A descelularização vascular foi alcançada, sob condições de perfusão de máquina controlada, em vários órgãos de ratos e suínos, incluindo rins, fígado, pulmões, coração, aorta, membros posteriores e pâncreas. Além disso, a descelularização vascular dos órgãos selecionados foi realizada in situ, dentro do corpo doador, conseguindo melhor controle do processo de perfusão”.

Enquanto a substituição inicial dos vasos sanguíneos ocorreu fora do corpo, algumas foram feitas dentro do doador antes de remover o órgão. Os testes foram realizados em porcos e ratos, e os órgãos hibridizados incluíram rins, fígado, pulmões, coração, pâncreas, vasos sanguíneos isolados e até membros. Tudo isso parece promissor para aqueles que aguardam um transplante de órgão, que é o "mercado" - alvo de Cohen.

“Nosso objetivo é eliminar as listas de espera e ter reservas ilimitadas de órgãos disponíveis para transplante, e criar um futuro com menos drogas anti-rejeição e, portanto, ter menos efeitos colaterais e menos problemas relacionados à supressão imunológica. Conhecemos os passos para alcançar esse marco. Acho que podemos cumprir essa visão”.

A equipe ainda não transplantou órgãos híbridos entre espécies animais, mas planeja fazer isso em breve. O transplante de órgãos híbridos de porco para humano está programado para daqui a cinco anos. Ética à parte, a maior preocupação daqueles que se opõem à hibridização é que as células do animal doador no órgão híbrido de alguma forma se desprendam do órgão e se movam para o cérebro, dando ao humano um cérebro parcial de porco - ou a um porco, um cérebro parcialmente humano.

[Mysterious Universe]

 
});