A vacina contra o coronavírus não retornará a humanidade à vida normal. | Resumo.


Cientistas britânicos chegaram a uma conclusão de que mesmo com a vacina mais eficaz no futuro, não forçará as autoridades a abandonarem as restrições de quarentena. 

Já na próxima primavera, o mundo espera voltar ao normal, pois as empresas já devem lançar suas vacinas que estão em fase de testes. Os cientistas observaram que a vacina não será a base para a quarentena.

Eles não excluem a necessidade de uma flexibilização gradual das restrições, mas sua abolição total é inaceitável, pois a vacinação da população levará pelo menos um ano.

O desenvolvimento da vacina sempre foi acompanhado por muitos fracassos, disse Fiona Kalli, do National Heart and Lung Institute do Imperial College London. Algumas previsões indicam que uma pequena porcentagem de pessoas poderá receber a vacina este ano. Não se fala em voltar à vida normal ainda.

As vacinas de RNA são algo novo para a humanidade, então cada etapa da vacinação será acompanhada por observações científicas para determinar o efeito das vacinas em diferentes pessoas. Outra questão são as matérias-primas e capacidades. Algumas vacinas requerem armazenamento a -80 ° C.

A taxa de vacinação contra o coronavírus deve exceder a da influenza. Até agora, os cientistas não têm certeza se os meios desenvolvidos provocam uma resposta imunológica suficiente. As vacinas podem não ser eficazes o suficiente. Eles também estão preocupados com a taxa de disseminação das formulações. Nem todos os países poderão comprar vacinas em um curto espaço de tempo e organizar uma campanha de vacinação, portanto, não se fala em um fim precoce da pandemia.

[Planeta]

 
document.querySelectorAll('img').forEach(function(img) { img.src = img.src.replace('/s72-c','/s1600'); });