Vídeo incrível mostra uma década da história do Sol em apenas 61 minutos. | Resumo.


O vídeo intitulado 'A Década do Sol', compila 425 milhões de imagens em alta definição do Sol tiradas individualmente a cada 0,75 segundo entre 2 de junho de 2010 e 1 de junho de 2020. 

Um segundo de filme representa um dia na vida do sol e 61 minutos condensam uma década inteira.

Ao longo da década o Sol passou por uma mudança radical emanando lentamente enormes ondas magnéticas chamadas manchas solares que atingiram o pico em 2014 antes de desaparecer. 

A quietude do Sol não é incomum: aproximadamente a cada 11 anos, os pólos magnéticos desta estrela mudam repentinamente de lugar. O norte vai para o sul e vice-versa, a atividade magnética solar diminui e a superfície do Sol se assemelha a um mar calmo de fogo amarelo. 

Este período de relativa tranquilidade é conhecido como o mínimo solar e hoje estamos no meio de um.



A atividade magnética do Sol aumenta para um ponto alto vibratório chamado máximo solar no qual a superfície da estrela ondula com enormes manchas solares, as linhas do campo magnético são distorcidas e surgem as chamadas erupções solares. Cada máximo culmina em outra inversão do polo magnético sinalizando o início de um novo ciclo solar.

À primeira vista são mudanças difíceis de perceber da Terra (embora as auroras polares sejam mais visíveis em latitudes mais baixas durante máximos solares), mas o satélite SDO da NASA pode detectá-las claramente enquanto monitora o Sol emitindo luz ultravioleta.

A compilação dessas imagens revela as abundantes mudanças que ocorrem na camada mais externa do Sol chamada corona solar. Uma visão impressionante de se ver mesmo que para o Sol provavelmente não signifique muito.


Com a Informação Grandes Médios.

 
document.querySelectorAll('img').forEach(function(img) { img.src = img.src.replace('/s72-c','/s1600'); });