12:02
0

Apocalipse I - A Mulher, a besta e o dragão e os sete selos

Quatro feras de Daniel
A BESTA

A besta que surge do mar descrita por João em apocalipse 13 é a mesma quarta fera que Daniel descreve em Daniel 7. Apesar de muitos acharem que a besta será o papa, as nações unidas, um bloco economico etc.... a besta já veio. basta analisarmos o livro do apocalipse e sua linguagem simbólica em conjunto com o livro de Daniel.

Daniel 7 relata uma visão que o Eterno concedeu a Daniel sobre os quatro reinos que iriam dominar o mundo. Vou me focar no quarto reino, mas antes irei dar uma breve analisada nos três reinos anteriores.

1º Reino - Leão que possuía asas de águia. = Representa o primeiro reino que governou o mundo conhecido da época, Babilônia cujo rei mais "famoso" foi Nabucodonosor, as asas de águia representam grande rapidez de conquista.

2º Reino - Urso que tinha na boca três costelas e que devorava muita carne. = Representa o segundo império que dominou o mundo que foi o império Medo-Persa. O império Medo-Persa invadiu e conquistou Babilônia em uma noite. As três costelas se referem aos três povos que ofereciam resistencia ao império Medo-Persa que eram: Babilônia, a Lídia e o Egito. Seu maior imperdor foi Ciro, o Grande.

3º Reino - Leopardo com 4 asas de ave e 4 cabeças. = Representa a Grécia de Alexandre, o Grande. As 4 asas se referem a rapidez de conquista, e por ser 4 asas representa que dominaria os territórios muito mais rápido que os reinos anteriores.
As 4 cabeças representam os 4 generais de Alexandre, o Grande que eram:
Cassandro, Lisímaco, Seleuco e Ptolemeu.

4º Reino - Animal terrível com dentes de ferro e 10 chifres, três chifres foram arrancados e subiu 1 chifre pequeno que tinha olhos e boca. = Representa o quarto império a dominar o mundo, Roma:  "O quarto animal será o quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos; e devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços" Dn 7,23

A besta tem dez chifres:
"Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres." Dn 7,7
"E EU pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia" Ap 13,1

Os dez chifres são dez reis:
"E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis" Dn 9,24
"E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a besta" Ap 17,12

A besta profere blasfêmias contra o altissimo:
"E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo" Dn 7,25
"E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses" Ap 13,5-6

A besta destrói os santos dos altissimos:
"E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo" Dn 7,25
"E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação" Ap 13,7

A besta age por 42 meses:
"E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo" Dn 7,25
"E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses" Ap13,5

Roma foi o quarto império a subjulgar israel e o que mais oprimiu o povo Israelita. Os dez chifres foram os dez imperadores romanos que mais oprimiram e massacraram o povo de Israel:



A MULHER VESTIDA DE SOL
"E VIU-SE um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz" Ap12,1-2
A mulher e o dragão

Mulher em linguagem profética significa cidade. Aqui no caso a mulher de apocalipse 12 representa o próprio povo de Deus, Israel. Apesar da teologia católica ter enchergado nesta passagem uma referência a Maria, dentro do contexto, vemos que não se refere. Maria nunca foi perseguida e nem ajudada pela terra. João descreveu aqui de forma simbólica, Israel mesmo. Vejamos o que disse o profeta Jeremias:

"Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da piedade da tua mocidade, e do amor do teu noivado, quando me seguias no deserto, numa terra que não se semeava."  (Jeremias 2 : 2)

"Porventura esquece-se a virgem dos seus enfeites, ou a noiva dos seus adornos? Todavia o meu povo se esqueceu de mim por inumeráveis dias."  (Jeremias 2 : 32)

Como vemos, Jerusalém sempre foi referida como a noiva do Eterno e não Maria, portanto é a Jerusalém que se aplica esta passagem. A mulher que João viu estava vestida de sol, com a lua aos pés e com uma coroa de doze estrelas na cabeça. Deus é o sol da justiça que se refere aqui. As doze estrelas são as doze tribos de Israel. Apesar de alguns atribuirem a Maria e as estrelas aos apostolos, Maria não teve os apostolos por dicipulos, Portanto mais uma vez vemos que é uma referência a Jerusalém/Israel e não a Maria. Confirmamos isso nos versiculos seguintes, quando a mulher da a luz a um filho varão. O filho varão que regerá as nações com vara de ferro é o próprio Yeshua. As dores de parto representadas nesta profecia se referem ao fato do messias ter nascido durante a dominação romana, quando os Romanos estavam subjulgando Israel e oprimindo seu povo.

O DRAGÃO
"E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas" Ap12,3
A besta romana

O dragão mencionado aqui é Roma. Note que o dragão tem sete cabeças e o próprio anjo explica o que significam estas sete cabeças: "As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada" (apocalipse 17,9) Roma é a cidade das sete colinas e sempre foi chamada assim, apesar de no mundo antigo ter havido outras cidades chamadas assim também, neste contexto podemos concluir que se trata de Roma mesmo. Portanto, João estava descrevendo o império Romano. Os dez chifres do dragão, assim como da besta que é também o império romano, são dez reis desse império. Note que assim como o anjo explica isso para João, o mesmo anjo ja havia explicado isso mesmo para Daniel: 

"E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarãodez reis" Dn 7,24

"E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a besta" Ap 17,12

Apesar de muitos conspiracionistas tentarem enchergar nesse versiculo dez reinos, dez potencias mundiais ou de formas de governo, tanto em Daniel quanto em Apocalipse a biblia é clara ao dizer que são dez reis. Os dez chifres são os dez imperadores romanos que perseguiram o povo de Deus, Israel:

1º)Tibério (14 - 37)
2º)Calígula (37 - 41)
3º)Cláudio (41 - 54)
4°)Nero (54-68)

Transição entre dinastia JULIUS e dinastia FLAVIUS

Galba (68 - 69) (não obteve reinado)
Oto (69)            (não obteve reinado)
Vitélio (69)        (não obteve reinado)

2ª DINASTIA DOS FLÁVIUS E ANTONINUS

5º)Vespasiano (69 - 79)
6º)Tito (79 - 81)
7º)Dominiciano (81 - 96)
8°)Nerva (96 - 98)
9°)Trajano (98 - 117)
10°) Adriano (117 - 138)

"E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo"
 Dn7,25

"E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los" Ap 13,7
Roma é a besta que surge do mar
Os dez chifres são dez reis (Os dez imperadores romanos que perseguiram os cristãos e judeus)



Na parte da besta vamos abordar melhor estes reis. Muitos pensam que este dragão é o diabo, um ser, que faz guerra no céu e derruba um terço dos anjos consigo. A palavra dragão, besta e fera possuem o mesmo significado. Algumas versões biblicas inclusive traduzem a palavra besta como fera em apocalipse 13. Todas significam impérios que se oponhem ao povo de Deus. A tradição judaica sempre enchergou esta palavra como simbolo de uma nação inimiga. mas devido a um versiculo interpretado literalmente, as pessoas pensam ser um ser: "E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele"A palavra diabo e satanás significam opositores. Quem se oponhem a vontade divina. A antiga serpente é a antiga vontade de se opôr a Deus. Interpretar literalmente pode ocasionar alguns problemas. Primeiro, o que satanás estaria fazendo no céu? Porque Deus ou o próprio Yeshua não combatem com ele, mas Miguel? Será mesmo que Deus Oniciente permitiria uma rebelião nos céus e ainda anunciaria através de seu profeta? Isso não teria lógica. O que Miguel esta combatendo é Roma mesmo, assim como o mesmo Miguel ja combateu outros principes de povos que se opuseram ao povo de Deus:

"Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia." 
 (Daniel 10 : 13)

"E ele disse: Sabes por que eu vim a ti? Agora, pois, tornarei a pelejar contra o príncipe dos persas; e, saindo eu, eis que virá o príncipe da Grécia."  (Daniel 10 : 20)

Miguel é o arcanjo que sempre combateu por israel E sempre foi considerado o principe do povo de Deus:

"Mas eu te declararei o que está registrado na escritura da verdade; e ninguém há que me anime contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe."  (Daniel 10 : 21)

E o próprio Daniel ja havia profetizado que Miguel combateria contra Roma:

"E NAQUELE tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro."  (Daniel 12 : 1)

Mas muitos enchergam nesta passagem uma queda de satanás devido ao livro dizer que Satanás arrastou consigo um terço das estrelas. Isto também foi profetizado por Daniel, representando um Homem, e não um ser, que faria guerra nos céus e derrubaria as estrelas. Isto tudo é linguagem simbólica e não literal, vejamos:

"E se engrandeceu até contra o exército do céu; e a alguns do exército, e das estrelas, lançou por terra, e os pisou. E se engrandeceu até contra o príncipe do exército; e por ele foi tirado o sacrifício contínuo, e o lugar do seu santuário foi lançado por terra"
 Dn 8,10-11

Como vemos, Daniel diz que este principe se engrandeceria até contra os exércitos dos céus e das estrelas. É um homem, não um ser, e isto é uma linguagem simbólica, não literal, senão significaria que este homem subiu nos céus e fez guerra aos anjos. Não teria lógica interpretar isso literalmente. João só esta descrevendo o acontecimento profetizado anteriormente por Daniel de que um rei subiria aos céus (linguagem simbolica) e derrubaria um terço das estrelas. vejamos os versiculos seguintes de apocalipse 12

"...o dragão (ROMA) parou diante da mulher (Israel) que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro (Yeshua); e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono." Aqui não há nem nescessidade de explicar que se refere ao Messias.

"E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias" Os três anos e meio descritos aqui, ou 1260 dias, se refere a revolta judaica no ano 132, quando os judeus resistiram aos romanos por quase quatro anos. Isso aconteceu literalmente e é história.

"E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite" Esse versiculo se refere a queda de Jerusalém, pois o acusador mencionado aqui é o próprio Israel que perseguia e acusava os seguidores do messias, e foram vencidos pelos mesmos. No caso, o acusador de alguém são seus pecados. E o texto esta dizendo que os pecados de Israel foram derrubados ou vingados, como disse o próprio messias: ....porque estes são dias de vingaça...

Nos versiculos seguinte vemos que o dragão persegue a mulher e a terra ajuda a mulher. Os romanos continuaram a perseguir os Israelenses e depois, o anti-semitismo, e os judeus foram forçados a migrarem por diversas partes da Europa. A terra simboliza as nações que abrigaram os judeus, ainda que temporariamente. O próprio livro é bem claro ao dizer que o dragão persegue os que guardam os mandamentos de Deus, isto é, os judeus e também as testemunhas de Jesus, os cristãos:
As bestas mitologicas

"E o dragão (Roma) irou-se contra a mulher(Israel), e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus(Judeus), e têm o testemunho de Jesus Cristo(cristãos)"

A BESTA
A besta que João descreve é também uma referência ao império romano e seus imperadores monstros. A besta veste purpura e escarlate, cor das vestes dos soldados e imperadores romanos. A besta tem sete cabeças que são as sete colinas de Roma ou os sete reis. A besta tem dez chifres que são os dez imperadores Romanos que perseguiram os cristãos e judeus:  Uma das cabeças da besta foi ferida de morte, referindo ao imperador Caligula que ficou gravemente ferido e todos pensaram que ele iria morrer, mas depois se recuperou. A besta profere blasfêmias e arrogãncias por quarenta e dois meses, referindo-se aos três anos e meio que os romanos fizeram guerra contra Israel e os venceram. Os romanos ja tinham destruido o templo sagrado no ano 70 (blasfêmia) e após a revolta judaica que foi talvez uma das maiores tribulações do povo judeu, os romanos decretam o judaismo ilegal e reconstroem Jerusalém como uma cidade romana.

O dragão depois tranfere seu poder a besta, simbolizando o poder politico que concedeu toda autoridade e poder ao poder religioso que se inicia no século quatro com Constantino. O dragão é preso posteriormente por mil anos (cap 20). Os judeus depois de muito migrarem conseguem um pouco de paz na Polônia. As maiores escolas de judaismo e sinagogas se concentram neste país onde os judeus vivem um periodo de paz por mil anos na conturbada idade média. A Polônia chega a ter um rei judeu por um dia. Uma antiga profecia rabinica ja dizia que os judeus descansariam por mil anos e Polônia em Hebraico significa lugar de descanso, exatamente como diz João em apocalipse que o dragão (opositor) seria preso por mil anos. Depois deste periodo, os judeus voltaram a serem perseguidos e mortos no leste europeu  e isto inia-se com o massacre de mais dois milhões de judeus pelo ultimo czar russo e culmina com o exterminio em massa conhecido como holocausto pela alemanha nazista. Exatamente após os mil anos de descanso como dizia a profecia: "E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão" Ap20,7







Com a Informação exegeseoriginal.

0 Comentários :

Postar um comentário