A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) passará a adotar um sistema de cotas para estudantes transgêneros na graduação e pós-graduação. A partir de 2019, os processos seletivos da instituição para cursos de graduação e pós-graduação contemplarão com 5% de vagas para cada grupo.
Assim, haverá cotas para transexuais, travestis e transgêneros, além de quilombolas, ciganos e portadores de deficiência, transtorno do espectro autista e altas habilidades.
“Pioneira na implantação de sistema de cotas étnico-raciais entre as instituições da região Nordeste, a UNEB dá mais um importante passo na consolidação de sua política de ações afirmativas”, justificou a universidade em nota oficial.
Atualmente, a UNEB destina 40% das bolsas para candidatos pretos e pardos e 5% para indígenas. A instituição ressalta que “Por se tratar de sobrevagas (vagas adicionais), as novas cotas não alteram o percentual de 60% do total de vagas que é destinado atualmente a candidatos não-cotistas”.
Essa ampliação do sistema de cotas para “grupos discriminados”, foi uma decisão unânime do Conselho Universitário da UNEB. 




Com informações de Veja.

0 Comentários :

Postar um comentário