Além das oito mortes de bebês, ela teria tentado assassinar mais seis crianças; polícia não revelou identidade da suspeita, mas disse que famílias já foram avisadas sobre avanços nas investigações dos casos, iniciadas em 2017.

Uma profissional da área da saúde foi presa no dia 03-07-18 sob suspeita de matar oito bebês e tentar assassinar outros seis, segundo investigações da polícia de Cheshire, na Inglaterra. Segundo informações do The Guardian , a mulher está sob custódia e deverá responder perguntas sobre os casos que ocorreram entre 2015 e 2016. As investigações da polícia tiveram início em maio do ano passado sobre as mortes de bebês no Hospital do Condado de Chester.

Oficiais afirmaram hoje que estão estudando o falecimento de 17 recém-nascidos e 15 colapsos não fatais entre março de 2015 e julho de 2016 – por isso, o inquérito foi ampliado recentemente. Desse modo, esta pode ser a investigação policial mais significante sobre mortes de bebês em hospitais do país desde o caso da enfermeira Beverly Allitt, conhecida como “Anjo da Morte”, presa há 30 anos por matar quatro crianças com uma injeção letal, e tentar assassinar outras três.

As mortes de bebês em Cheshire

Poucos detalhes sobre os casos foram revelados pela polícia. Líder das investigações, o detetive Paul Hughes disse ao jornal britânico que “ainda não há prazos estabelecidos para chegar a uma conclusão, mas continuamos empenhados em realizar uma investigação completa o mais rápido possível”.

Ainda segundo Hughes, os pais das crianças mortas foram avisados sobre as atualizações das investigações. Todos estão recebendo apoio de especialistas.

“Nós reconhecemos que esta investigação tem um impacto enorme em todas essas famílias, equipes de profissionais e pacientes do hospital. É um período difícil para as famílias, e é importante lembrar isso – do coração dessa investigação – que há um número de familiares buscando por respostas sobre o que aconteceu com suas crianças”, defendeu o detetive.

O diretor da equipe médica do hospital, Ian Harvey, afirma que todos “estão colaborando para as investigações da polícia”. “Pedir para que a polícia vá atrás disso não foi algo fácil, mas nós precisamos fazer de tudo que pudermos para entender o que foi que aconteceu aqui e ter as respostas que nós e todas as famílias tanto queremos”, completou.

O advogado Neil Fean, que representa duas famílias, afirmou que todos estão “esperançosos de que os oficiais conseguirão encontrar respostas” e que “acreditam que as investigações ainda estão caminhando, e que há muitos passos para serem dados ainda”.

Taxa mais alta de mortalidade de recém-nascidos

Um estudo acadêmico publicado em junho de 2017 apontou que a taxa de mortalidade de bebês no Hospital do Condado de Chester era, pelo menos, 10% maior do que o esperado em instituições de porte similar. A pesquisa ainda revelou que o hospital teve a mais alta taxa de falecimentos entre neonatais em toda a Grã-Bretanha no ano de 2015, ano em que várias das mortes suspeitas ocorreram.

Os autores do estudo “Mães e bebês: reduzindo o risco por meio de auditorias e consultas confidenciais em todo o Reino Unido” observaram as mortes de recém-nascidos ocorridas em 165 maternidades em todo o país em 2015.

Dois bebês morreram na unidade investigada em 2013 e três, em 2014. Houve oito mortes em 2015 e outras cinco em 2016. Os números mostram, portanto, que o hospital teve a maior taxa de mortes de bebês de 43 hospitais similares, com 1,91 mortes por 1.000 nascimentos, em comparação com uma média de 1,27 nos outros hospitais.









Com a Informação Último Segundo.

0 Comentários :

Postar um comentário