A corrida armamentista obscura entre Estados Unidos, Rússia e China pode levar a uma terceira Guerra Mundial no espaço, alerta a revista Wired.
A edição sublinha que funcionários militares já começaram a chamar a órbita terrestre de "zona de ações militares".
Nomeadamente, o ex-diretor da inteligência nacional dos EUA, James Clapper, chegou a classificar o desenvolvimento de tecnologias espaciais por potenciais adversários dos EUA como uma das principais ameaças estratégicas para os norte-americanos.
O sucessor de Clapper, Dan Coats, também expressou preocupações quanto às capacidades crescentes da Rússia e China no espaço.
A revista escreve que o espaço já se parece com uma zona de guerra. Atualmente, ao redor do planeta estão circulando vários aparelhos espaciais. Cientistas supõem que um dia o número destes atinja o limite chamado de efeito Kessler: uma colisão entre dois grandes aparelhos causará uma grande quantidade de novos destroços, fazendo com que seja impossível usar o espaço perto da Terra.
Wired ressalta que, como nenhum país pode reclamar soberania na órbita e ocupar território, qualquer destruição ocasional de um aparelho dos EUA, Rússia ou China em teoria poderia ser considerada um ato de agressão e causar resposta.
Além disso, as principais potências "espaciais" aplicam tecnologias nesta área de modo secreto, dificultando a avaliação de capacidades do inimigo potencial e causando escalação das relações.
Assim, a China já neste ano lançou um satélite para o lado escuro da Lua, tornando-se o primeiro país a posicionar uma sonda na região. O presidente americano, Donald Trump, por sua vez, anunciou na semana passada a criação de uma Força Espacial, apelando para que os EUA dominem no espaço.





Com a Informação Sputnik.

0 Comentários :

Postar um comentário