13:43:00
0

As escavações em curso perto do Muro Ocidental de Jerusalém trouxeram à luz mais uma valiosíssima prova da existência de um governador judeu na Cidade, há cerca de 2.700 anos atrás, portanto do tempo do Primeiro Templo.
 
Ainda que a peça de barro com uma inscrição gravada, encontrada no final do ano, pareça ser minúscula, tem uma dimensão e interesse histórico ilimitado, uma vez que vem comprovar a presença dos judeus em Jerusalém há pelo menos 2.700 anos.
 
O minúsculo texto registrado na peça de barro diz: "Pertencente ao governador da cidade."
 
A descoberta desta peça causou uma grande sensação no meio arqueológico e na própria Cidade em si quando foi apresentada ao presidente da Câmara de Jerusalém, Nir Barkat.
 
Segundo a responsável das escavações junto ao Muro, "Esta é a primeira vez que uma gravação destas foi encontrada em escavações autorizadas. Isto dá suporte à narrativa bíblica da existência de um governador da cidade, em Jerusalém, há 2.700 anos atrás."
 
Durante a apresentação desta raríssima peça, Barkat afirmou: "É fascinante receber saudações do período do Primeiro Templo de Jerusalém. Isto comprova que já há 2.700 anos Jerusalém, a capital de Israel, era uma cidade forte e central."
 
Esta minúscula gravação em barro foi encontrada enquanto os pesquisadores examinavam o lixo extraído de uma estrutura do Primeiro Templo a uns 100 metros do Muro Ocidental, num espaço que tem andado a ser escavado desde 2005.
 
Estas escavações têm apresentado perspectivas do período do Segundo Templo e da época romana, bem como um enorme edifício de 4 salas da idade do ferro onde uma coleção eclética de 6 placas em barro foi também descoberta, apontando para origens relacionadas com um vibrante centro cosmopolita da época da idade do ferro.
 
"Esta gravação devia estar anexada a um transporte importante e serviria como uma espécie de logotipo ou como uma pequena lembrança enviada em nome do governador da cidade" - afirmou a responsável pela exploração em curso, Weksler-Bdolah.
 
A gravação revela 2 homens de pé, voltados um para o outro como se estivessem ao espelho, com um braço levantado e um abaixado. Por baixo desta gravura, encontra-se o texto escrito em hebraico antigo: "Pertencente ao governador (sar) da cidade."
 
Weksler-Bdolah explicou que o governador funcionava como um atual presidente de câmara municipal. Essa atividade é mencionada na Bíblia Hebraica, no 2º Livro de Reis, em que Josué é alistado como governador da cidade nos dias de Ezequias, e em 2º Crônicas, em que Maaseias é referenciado como governador da cidade nos dias de Josias (34:8).
 
"A Bíblia menciona dois governadores de Jerusalém, e este achado vem revelar que tal posição era ocupada por alguém da cidade há 2.700 anos atrás" - informou a arqueóloga.
 
Segundo Weksler-Bdolah, este e outros achados semelhantes naquele local, a 100 metros do Muro, comprova que habitariam ali altas patentes de oficiais durante o período do Primeiro Templo construído por Salomão.
 
Esta preciosidade foi apresentada ao presidente da câmara municipal de Jerusalém, em cujo gabinete ela estará temporariamente exposta. 
 
Nas palavras de Barkat, "Jerusalém é uma das mais antigas capitais do mundo, continuamente habitada pelo povo judeu por mais de 3 mil anos. Temos hoje o privilégio de encontrar mais uma da longa corrente de pessoas e líderes que construíram e desenvolveram a cidade. Estamos gratos por estar a viver numa cidade com um passado tão majestoso. Vemo-nos por isso na obrigação de assegurar a sua força para as futuras gerações."
 
Shalom, Israel!
 




Com a Informação Shallom Israel.

0 Comentários :

Postar um comentário