Dias atrás foi ao ar aqui no blog uma matéria falando a respeito de um crime envolvendo a decapitação de duas crianças no Rio Grande do Sul (clique AQUI para recordar), sendo que um líder de um templo alegadamente satânico acabou sendo preso acusado de estar relacionado ao crime. Agora a polícia trás novas informações a respeito do caso, afirmando que as crianças teriam sido alcoolizadas e decapitadas vivas por criminosos. Elas também teriam sido alvo de atos de canibalismo.

Quando parece que o grau de crueldade no caso das crianças esquartejadas chegou ao extremo, surgem informações de barbárie ainda pior. Os novos detalhes apurados aprofundam as acusações sobre os suspeitos, que devem ser indiciados por homicídio e também por tortura.

O ritual encomendado por habitantes da cidade de Novo Hamburgo para atrair prosperidade acabou com a vida de irmãos da forma mais selvagem. Segundo a Polícia, eles foram alcoolizados com cachaça e decapitados ainda vivos. Depois, houve sessão de canibalismo. Os acusados teriam comido parte das coxas e bebido sangue das vítimas.


O circo de horrores que teria ocorrido no templo satânico de Gravataí, no início de setembro, repugnou até o mais experiente investigador. “Sou um homem de Deus. O que fizeram com essas crianças inocentes é abominável”, declara o delegado Moacir Fermino Bernardo, que responde pela Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo. Para matar os irmãos, teria sido usada uma espécie de foice bem afiada. Segundo ele, ingerir carne e sangue de mortos faz parte de sessões satânicas.

Fermino conta que o esquartejamento também está no roteiro do ritual. O propósito é enterrar as cabeças e posicionar as outras partes para formar um quadrado ou um losango – o tronco e membros foram encontrados no dia 4 de setembro, na beira da Estrada Porto das Tranqueiras, em Lomba Grande, e os pés e mãos apareceram duas semanas depois, do outro lado da via, a 400 metros de distância. “Esse tipo de ritual é muito difundido nos Estados Unidos e Uganda. Vamos continuar procurando as cabeças.”

"Trabalho" teria iniciado em uma igreja cristã

Depois de pagar R$ 25 mil ao bruxo, conforme revelado pelo Jornal NH no dia 07 de janeiro, o hamburguense teve uma missão inusitada. Segundo a Polícia, o primeiro passo do ritual foi ir a uma igreja católica. “Na frente do altar, ele teve que pingar uma gota de sangue do dedo em uma Bíblia aberta e renunciar a Jesus Cristo”, conta Fermino.

A Bíblia teria sido levada ao templo satânico, onde a ordem era não ser fechada por sete dias. Uma semana depois, conforme Fermino, Moloch, o demônio invocado em sacrifício de crianças, teria se manifestado.

Leia mais: Moloch e o sacrifício de recém nascidos


Depois de outras etapas, chegou o momento crucial diante do altar de Lúcifer: o sacrifício do menino de 8 a 10 anos e da garota entre 10 e 12 anos. O hamburguense que encomendou, parentes, o bruxo e discípulos teriam participado da alcoolização, decapitação, canibalismo e esquartejamento.

Ilustração de ritual de adoração a Moloch

As cabeças e outras partes dos corpos foram colocadas em losango ou quadrado nas imediações das terras que o interessado no ritual pretende vender.

"Ele não teria coragem de matar uma criança"

Há oito anos trabalhando no templo satânico, a comerciante Adriana Machado Batista, 43 anos, afirma que o líder, chamado de mestre e bruxo, é inocente. “Coitado dele, que está tendo que aguentar todas estas calúnias. Quem conhece sabe que ele não teria coragem de matar uma criança. Eu não sei por que a Polícia não me ouviu ainda”, salienta. Segundo ela, o sangue não faz parte do ritual. “Já participei várias vezes. Nossos cultos têm muito salgadinho e bebida, mas nunca sangue. Nem de animal. A gente faz uma corrente pelas oferendas e não mais que isso. Não tem mistério nenhum.”

Caçada ao argentino continua

A Polícia mantém a caçada ao argentino que teria buscado as crianças no país natal para o ritual e mais dois supostos comparsas. Equipes já foram ao litoral e outras regiões do Estado atrás dos indiciados. Os três estão com prisão temporária de 30 dias decretada pelo Judiciário, assim como o líder do templo, o hamburguense que encomendou o ritual e um parente, capturados no último dia 27 de dezembro. Os nomes não estão sendo divulgados porque os mandados são relativos ao período de investigação.


Polícia faz buscas por restos mortais de crianças esquartejadas em casa de argentino foragido

A Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros realizam, nesta quinta-feira dia 18-01-18, mais uma ação de buscas aos restos mortais das crianças que teriam sido sacrificadas em ritual macabro. Desta vez, a vistoria ocorre na casa do argentino suspeito de traficar os irmãos - um menino, entre 8 e 10 anos, e a menina, de 10 a 12. A residência fica no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo, na mesma estrada onde partes dos corpos das crianças foram localizadas em setembro.


Pelo Twitter, os Bombeiros haviam informado, às 9h42min, que realizavam “busca de corpos desaparecidos”. Contudo, a mensagem foi apagada momentos depois. Procurada pela reportagem do jornal O Correio do Povo, a Companhia Especial de Busca e Salvamento informou que não pode se manifestar sobre o assunto. A Polícia Civil também não está comentando sobre as varreduras.









Com a Informação Jornal NH e Correio do Povo.

0 Comentários :

Postar um comentário