Um jornal da Coreia do Norte publicou que um "redemoinho sombrio de uma guerra nuclear" está à espreita sob a Península da Coreia, mencionando que a ameaça envolve a agressiva política dos Estados Unidos contra Pyongyang.
"O que [os EUA] deseja o tempo todo não é a paz e a estabilidade da península, mas a instabilidade da situação e o agravamento das tensões militares", publicou o Rodong Sinmun, o jornal do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte.
A passagem foi atribuída a Choe Song-ho, pesquisador de política internacional no Instituto Norte-Coreano de Ciência Social.
Para sustentar o seu ponto de vista, Choe mencionou uma recente reunião de chanceleres de vários países em Vancouver (Canadá), na qual os EUA enfatizaram a urgência de implementar ainda mais sanções internacionais contra a Coreia do Norte – o encontro foi condenado por China e Rússia.
De acordo com o pesquisador, tudo não passou de uma estratégia dos EUA para fortalecer os seus ativos na região da Ásia e do Pacífico.
"A situação na península ainda é aguda, mesmo que as correntes do diálogo e da paz fluam ostensivamente. Um redemoinho escuro da guerra nuclear está a espreita como uma bomba de tempo abaixo deles", ponderou Choe.
O analista considerou um "jogo terrível" o que Washington está fazendo, destacando que tudo não passaria ainda de uma medida desesperada para obstruir a reconciliação entre Pyongyang e Seul, que se aproximaram e realizaram neste mês os primeiros encontros de altos oficiais em mais de dois anos.
Neste início de 2018, a Coreia do Norte vem reforçando o discurso de conciliação com a Coreia do Sul, enfatizando ainda que cabe às duas Coreias resolverem os seus assuntos, sem a interferência de outras nações – um claro recado aos EUA.





Com a Informação Portas Abertas.

0 Comentários :

Postar um comentário