Escândalo em hospital de Roma, onde um somali, depois de iludir todos os controles, entrou na sala de partos e tentou estuprar uma mulher em pleno trabalho de parto.

O protagonista da história é um cidadão somali de 38 anos, que roubou o uniforme verde de enfermagem de um armazém no hospital de Sant'Eugénio em Roma e, depois de entrar na sala de partos, tentou estuprar uma mulher de 43 anos. anos. O homem foi preso por polícias em flagrante, em 31 de Dezembro passado e enfrenta acusações de violência sexual. 

Hoje, os juízes da quinta secção penal de Roma validaram a prisão e ordenaram a detenção preventiva na prisão. O autor da violência, na Itália há vários anos e com vários antecedentes, entrou na sala de partos enquanto a mulher estava com muitas dores a dar à luz.

O agressor introduziu as mãos na vagina da parturiente e começou a masturbar-se, desencadeando a reacção da mulher, que começou a gritar pelas enfermeiras e pelo médico, que imediatamente alertou a polícia. 

A defesa do somali alegará problemas psiquiátricos. O julgamento está agendado para o dia 10 de Janeiro.

Libero Quotidiano



Confira na foto quem são viúvas e orfãos sírios que desembarcam em Itália.

Confesso que pensei que esta notícia fosse uma brincadeira de mau gosto, mas conferi em diversos jornais online italianos (só os regionais se atrevem) e conferi a reacção de uma força política italiana (só uma se atreveu).

A "Grande Imprensa" ignora o acontecimento, é claro. Bem como os políticos "sérios", do Sistema. Se tivesse sido um padre que tivesse um filho de uma paroquiana estava nos telejornais todos. Assim, é apenas mais um episódio pitoresco de enriquecimento cultural.

E quem tiver objecções é "instigador do ódio" e "racista"!

A mentalidade maometana é assaz curiosa. Os partidários da Religião da Paz, por um lado violam mulheres e crianças, e por outro ensinam às nossas mulheres os padrões da decência Corânica:


Estuprador somali na sala de parto, Santanchè:

"Boldrini, aqui está a verdade sobre os muçulmanos: o que se deve fazer à besta?"



"Em Roma, um somali foi introduziu-se secretamente no sala de partos do hospital Sant'Eugénio e atacou sexualmente uma mulher, fingindo ser uma enfermeira. O episódio é miserável e inaceitável e uma pessoa assim deve ser enviada de volta para seu país muito rapidamente".

Enquanto todos os políticos estão em silêncio, a líder dos Fratelli d'Italia, Daniela Santanchè, foi a única a estigmatizar o ataque sexual vergonhoso que teve como protagonista um somali de 38 anos.
Depois de tentar estuprar uma mulher grávida de 43 anos, o indivíduo teve a coragem de dizer: "Porque é que eu fiz isto? Somente Alá o sabe ...".

"Este crime - continua Santanchè - mostra que muitos imigrantes provenientes de países muçulmanos têm uma total falta de respeito pelas mulheres e pelo seu corpo, uma concepção distorcida que é totalmente incompatível com nossa cultura e nossa História. Saviano e Boldrini terão palavras de carinho e compreensão para com este personagem nojento?".




Com a Informação Amigos do Rei.

0 Comentários :

Postar um comentário