O vírus da gripe A (H1N1) atingiu 269 pessoas no Equador este ano, causando a morte de 15 delas, segundo um comunicado do Ministério da Saúde Pública datado de 12 de agosto e divulgado na sexta-feira.
Uma fonte do Ministério afirmou hoje à Agência Efe que ainda são investigadas quatro mortes na província litorânea de Manabí (oeste) para determinar se também foram causadas pelo vírus H1N1.
Segundo as estatísticas do Ministério, o maior número de mortes (6) pelo vírus da gripe foi registrado na província andina de Tungurahua, enquanto a província de Pichincha, cuja capital é Quito, é a que registra o maior número de contágios (83).
Das 24 províncias do Equador, Cañar é a única onde não foi registrado nenhum caso de gripe A, segundo o último comunicado do Ministério da Saúde.
O Ministério mantém ativo o sistema de vigilância epidemiológica para o controle da doença, causada por um vírus que pode mudar a cada ano, além de seguir o plano anual de vacinação, que acontece de outubro a dezembro.
Está proibida a comercialização de antigripais, anti-inflamatórios e analgésicos classificados no registro sanitário como de "venda livre", vendidos apenas com receita médica, para evitar a automedicação e possíveis complicações.





Com a Informação EFE.

0 Comentários :

Postar um comentário